Representante das Torres Trump de Istambul vai rever relação com magnata americano

(AFP)

O representante das Torres Trump de Istambul anunciou que irá rever a sua relação com o pré-candidato republicano Donald Trump, após seus comentários “discriminatórios” em relação aos muçulmanos. O candidato americano propôs a proibição da entrada de muçulmanos nos Estados Unidos.

O complexo das Torres Trump de Istambul, aberto em 2012 com um investimento de 400 milhões de dólares, conta com mais de 200 apartamentos de luxo. São duas torres gémeas de quase 40 andares, no bairro de Mecidiyeköy, na parte europeia.

“Lamentamos e condenamos esses comentários discriminatórios contra os muçulmanos”, disse em um comunicado citado pela imprensa local Bulent Kural, representante do complexo imobiliário.

Segundo informou, a sua posição foi comunicada à família Trump.

“Estamos a examinar os aspectos legais da nossa relação com a marca Trump”, acrescentou Kural, sem dar mais detalhes dos passos que dará.

Trump, favorito entre os eleitores republicanos para ser o candidato à presidência, recebeu muitas críticas após os polémicos comentários feitos no início da semana em um ato eleitoral, em que defendeu “o fim total e completo da entrada de muçulmanos nos Estados Unidos”, após os atentados em San Bernardino (Califórnia), que fizeram 14 mortos, e em Paris.

Segundo Kural, os comentários de Trump obedecem a “uma mentalidade que nunca entendeu o Islão como uma religião de paz e tolerância”.

Kural também o acusou de “abusar da nossa religião, em benefício de um pequeno cálculo político”.

As Torres Trump de Istambul não são propriedade do magnata norte-americano, mas usam o seu nome como marca graças a uma licença.

Actualmente existem torres Trump em várias cidades dos Estados Unidos e em outras do exterior, como Bombaim e Toronto. (AFP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA