Relembre os factos marcantes de 2015

(AFP)

Segue a cronologia dos principais acontecimentos mundiais de 2015:

– Janeiro –

– 7-9: FRANÇA – Dezassete pessoas são mortas em ataques em Paris contra o semanário satírico francês Charlie Hebdo e um supermercado de comida judaica, dois dias depois.

– 26: SÍRIA – O grupo jihadista Estado Islâmico (EI) é expulso da cidade síria de Kobane, na fronteira com a Turquia, depois de mais de quatro meses de combates com as forças curdas, apoiadas por ataques aéreos da coligação liderada pelos Estados Unidos.

– Fevereiro –

– 12: UCRÂNIA – O governo ucraniano e rebeldes russos chegam ao acordo de paz denominado “Minsk II”, com apoio de França, Alemanha e Rússia, mas a trégua permanece frágil. Uma segunda trégua é assinada em 1º de Setembro. Os confrontos se intensificam no começo de Dezembro.

– Março –

– 17: ISRAEL/TERRITÓRIOS PALESTINIANOS

– O partido Likud, do primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, vence as eleições legislativas. A construção de assentamentos continua e o impasse sobre o processo de paz alimenta novos actos de violência, com lançamento de pedras, esfaqueamentos, atropelamentos intencionais e confrontos com as forças de segurança.

– 18: TUNÍSIA – Um ataque ao Museu do Bardo, na Tunísia, mata 21 turistas estrangeiros e um policial tunisino. Em 26 de Junho, um ataque contra outro hotel deixa 38 turistas estrangeiros mortos, a maior parte de nacionalidade britânica; em 24 de Novembro, um ataque a bomba contra um ónibus da guarda presidencial deixa ao menos 12 mortos. Os ataques foram reivindicados pelo grupo jihadista Estado Islâmico.

– 24: FRANÇA – Um Airbus, de propriedade da companhia aérea alemã de baixo custo Germanwings, cai nos Alpes franceses, matando todas as 150 pessoas a bordo. Os investigadores afirmam que o copiloto Andreas Lubitz derrubou o avião deliberadamente.

– 26: IÉMEN – Caças de uma coligação liderada pela Arábia Saudita bombardeiam posições de rebeldes xiitas huthis no Iémen, em apoio ao presidente Abedrabbo Mansour Hadi. Desde então, o conflito já deixou cerca de seis mil mortos.

– Abril –

– 2: QUÉNIA/SOMÁLIA – Pelo menos 148 pessoas, a maioria estudantes, são massacradas quando o grupo islamita somaliano Shebab ataca a Universidade Garissa, no Quénia.

– 25: NEPAL – Um terremoto de magnitude 7,8 mata cerca de 8.900 pessoas e destrói quase meio milhão de casas. Uma forte réplica, de magnitude 7,3 é registada em Maio e mata outras dezenas de pessoas.

– 26: BURUNDI – Protestos mortais são registados em reacção à tentativa – que acabou sendo frustrada – do presidente Pierre Nkurunziza de disputar um terceiro mandato. Centenas de pessoas são mortas nos meses seguintes.

– Maio –

– 7: Grã-Bretanha – Os Conservadores do primeiro-ministro David Cameron vencem as eleições, uma vitória que abre a porta para um referendo nacional sobre a permanência na União Europeia.

– 29: NIGÉRIA – Muhammadu Buhari, eleito presidente em Março, promete lançar uma intensa ofensiva contra islamitas do Boko Haram, ligados ao grupo jihadista Estado Islâmico. Os rebeldes mataram mais de 1.500 pessoas desde então, e, contudo, também lançaram ataques nos vizinhos Camarões, Chade e Níger.

– Junho –

– 1: CHINA – Um navio de cruzeiro chinês naufraga no rio Yangtsé, no centro da China, matando 442 das 454 pessoas a bordo.

– 17: ESTADOS UNIDOS – Um atirador branco mata nove pessoas em uma icónica igreja negra em Charleston, Carolina do Sul. O massacre se seguiu a uma série de incidentes de violência policial contra negros, reactivando as tensões raciais nos Estados Unidos.

– 26: ESTADOS UNIDOS – A Suprema Corte americana determina que o casamento entre homossexuais é um direito em todos o país.

– Julho –

– 1: ESTADOS UNIDOS/CUBA – Cuba e Estados Unidos selam um acordo histórico para restabelecer relações diplomáticas, rompidas 54 anos antes durante a Guerra Fria.

– 13: GRÉCIA – Após longas negociações, o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, aceita um plano de resgate da UE que prevê a libertação de € 86 biliões (US$ 93 biliões) em três anos, evitando o ‘Grexit’ – a saída do país da zona do euro. Em 20 de Setembro, o Syriza, partido de esquerda radical no poder, vence novamente as eleições legislativas.

– 14: IRÃO – Após 18 dias de negociações, o Irão e as grandes potências alcançam um acordo histórico, com vistas a assegurar que a República Islâmica não vai desenvolver a bomba atómica.

– Agosto –

– 12: CHINA – Explosões de grandes proporções em um armazém de produtos químicos em Tianjin, uma das maiores cidades da China, matam pelo menos 165 pessoas.

– Setembro –

– 2: EUROPA – A foto do corpo de um menino sírio de três anos, arrastado até uma praia turca, chama a atenção para a maior crise migratória da Europa desde o fim da Segunda Guerra Mundial.

– 3: GUATEMALA – O presidente da Guatemala, Otto Perez, renuncia depois que o Congresso retira sua imunidade após denúncias de corrupção e uma ordem é emitida para sua captura.

– 18: ESTADOS UNIDOS/ALEMANHA – A gigante automotora Volkswagen é atingida pelo maior escândalo já registado após o anúncio de que teria fraudado testes de emissão de poluentes nos Estados Unidos.

– 19-22: CUBA – O Papa Francisco faz uma visita histórica à ilha antes de seguir viagem para os Estados Unidos. O sumo pontífice também viajou para Quénia, Uganda e República Centro-africana entre 25 e 30 de Novembro.

– 24: ARÁBIA SAUDITA – Um tumulto durante peregrinação anual do Hajj deixa 2.236 mortos em Mina, perto de Meca.

– 30: SÍRIA – A Rússia lança ataques aéreos contra a Síria, e alega que sua intervenção é contra o grupo jihadista EU, enquanto a Turquia e seus aliados afirmam que o alvo de Moscovo são os opositores moderados ao regime do presidente Bashar al-Assad.

– Outubro –

– 3: AFEGANISTÃO – Um bombardeio dos Estados Unidos a um hospital no norte da cidade de Kunduz (norte) mata 42 pessoas durante ofensiva talibã na cidade. Washington afirma que manterá milhares de soldados no país após 2016, enquanto as forças afegãs não conseguirem enfrentar os talibãs sozinhos.

– 19: CANADÁ – O líder liberal Justin Trudeau, filho de um popular ex-primeiro-ministro, vence as eleições-gerais no país.

– 29: CHINA – Pequim anuncia o fim de sua controversa política do filho único.

– 31: EGIPTO/RÚSSIA – Um avião de passageiros russo é derrubado quando fazia o trajecto entre o balneário egípcio de Sharm el-Sheikh e São Petersburgo, matando todas as 224 pessoas a bordo. O grupo Estado Islâmico assume a autoria do que a Rússia classificou como um bombardeio; o Egipto afirma não haver evidências de que se tratou de um ataque terrorista.

– Novembro –

– 1: TURQUIA – O Partido Justiça e Desenvolvimento (AKP), do presidente Recep Tayyip Erdogan, obtém um resultado eleitoral assombroso tendo como pano de fundo novos actos de violência curda e ataques jihadistas. Estes incluem dois ataques suicidas durante uma passeata pacífica, em Outubro, que mataram 103 pessoas – os mais sangrentos na história da Turquia moderna.

– 7: CHINA/TAIWAN – Os presidentes da China e de Taiwan trocam um histórico aperto de mãos e palavras calorosas na primeira reunião de cúpula desde que os dois lados se separaram, em 1949.

– 8: MYANMAR – O partido de Aung San Suu Kyi, símbolo da democracia birmanesa, vence as eleições por esmagadora maioria após décadas de domínio militar.

– 13: FRANÇA – Uma série de ataques sem precedentes a tiros e com bombas no Stade de France, na casa de shows Bataclan e em bares e restaurantes de Paris deixam 130 mortos e centenas de feridos. O grupo jihadista Estado Islâmico assume a responsabilidade.

– 20: MALI – Um cerco a um hotel de luxo da capital, Bamaco, deixa 20 mortos. O ataque é reivindicado por um grupo afiliado à rede Al-Qaeda.

– 24: TURQUIA/RÚSSIA – A Turquia, membro da OTAN, derruba um caça russo na fronteira com a Síria, alegando que a aeronave tinha violado o espaço aéreo turco, provocando um espinhoso incidente diplomático entre os dois países.

– Dezembro –

– 2: ESTADOS UNIDOS – Um casal radicalizado mata 14 pessoas em San Bernardino, na Califórnia, antes de ser morto em uma troca de tiros com a polícia.

– 3: ÁFRICA DO SUL – O atleta paralímpico Oscar Pistorius, que matou a namorada, Reeva Steemkamp, em 2013, é condenado por homicídio doloso depois de uma apelação da promotoria. Ele é libertado sob fiança após a sentença e, cumprindo prisão domiciliar, planeia apelar.

– 6: VENEZUELA – Uma coligação de centro-direita obtém a primeira maioria parlamentar da oposição em 16 anos em meio a uma aguda crise económica no país rico em petróleo.

– 12: MEIO AMBIENTE – 195 países aprovam um acordo histórico para conter o aquecimento global.

– 12: ARÁBIA SAUDITA – Pela primeira vez, ao menos 20 mulheres são eleitas para cadeiras em eleições municipais, embora o reino ultra-conservador ainda mantenha muitas restrições ao sexo feminino.

– 14: CINEMA – Estreia, em Hollywood, do aguardado “Star Wars: O Despertar da Força”; alguns fãs da série acampam por dias na tentativa de obter fotos e autógrafos.

– 16: EUA – O Federal Reserve (Banco Central americano) eleva a taxa de juros pela primeira vez em mais de nove anos.

– 18: SÍRIA – O Conselho de Segurança adopta, por unanimidade, uma resolução endossando um processo de paz para pôr um fim a cinco anos de guerra na Síria, sem abordar um dos contenciosos mais delicados nos esforços de paz: o destino do presidente Bashar al-Assad.

– 18: RUANDA/CONGO – Ruanda vota para mudar a Constituição e permitir ao presidente Paul Kagamé potencialmente governar até 2034. No fim de Outubro, na República do Congo, um polémico referendo habilitou o presidente Denis Sassou Nguesso a estender seu governo, que já dura 31 anos.

– 21: FUTEBOL – A FIFA pune  o seu presidente, Sepp Blatter e o presidente da UEFA, Michel Platini, com uma suspensão de oito anos da entidade mundial do desporto por suspeita de corrupção, no último evento do escândalo envolvendo a federação internacional, desde que sete dos seus funcionários foram detidos em uma operação em Zurique, na madrugada de 27 de Maio. (AFP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA