Registadas 21 mortes por acidentes de viação e afogamento

Proteico Civil resgate corpos de cidadãos afogados (Foto: Angop/Arq)

O Serviço Nacional de Protecção Civil e Bombeiros (SNPCB) e a Polícia de Trânsito registaram, nas últimas 24 horas, em todo o país, 21 mortes, por afogamento e acidentes de viação, informou à Angop o director do gabinete de Estudos, Informação e Análise do Ministério do Interior, comissário Aristófanes dos Santos.

De acordo o oficial comissário, o SNPCB notificou 19 ocorrência, mais dez com relação ao mesmo período anterior com oito mortos, sendo quatro por presumíveis afogamentos, em tanque de água, rio e cacimba, nas províncias de Luanda, Cuanza Norte, Huambo e Huíla.

Este órgão afecto ao ministério do Interior notificou ainda uma morte por carbonização, na Huíla, e outros quatro sucumbiram a caminho do hospital depois de serem vítimas de acidentes de viaçção, bem como registou cinco incêndios e evacuação de 73 cidadãos para unidades hospitalares.

Por sua vez, a Polícia de Trânsito registou 34 acidentes, menos três, com 12 vítimas mortais, no local, e 46 feridos, mais sete em comparação com o mesmo período anterior.

As províncias com maiores incidências foram as de Luanda, com quatro mortos, seguida de Benguela, com menos uma morte.

Ainda durante as últimas 24 horas, prosseguiu, a corporação tomou conhecimento de 82 crimes, mais nove, dos quais 70 foram já esclarecidos e detidos preventivamente 79 supostos criminosos.

Benguela liderou a lista com 14 delitos, Huíla (11), Luanda (10), Huambo (07), igual número no Cuanza Norte, enquanto que Cabinda e Malanje tiveram um registo de cinco.

Dos delitos constam homicídios voluntários, violações sexuais, ofensas corporais, roubos e furtos diversos.

No enfrentamento, procederam a apreensão de 11 armas de fogo, duas viaturas, 179 motorizadas e artigos diversos.

Na fronteira norte com as províncias da Lunda Norte, Zaire, Uíge e Cabinda foram detidos 115 cidadãos da República Democrática do Congo (RDC), o repatriamento de 103, bem como a saída voluntária de 31 outros do mesmo pais.

O Serviço de Migração e Estrangeiros recusou a entrada de oito cidadãos, sendo sete chineses e um da RDC, bem como sancionou com multas 26, expulso administrativo de dois da conacry guineense, por estadia ilegal. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA