Recta final para um acordo na COP21

O chefe da diplomacia francesa e presidente da COP21 Laurent Fabius, com um projecto de acordo. Bourget, 9 de Dezembro de 2015 (REUTERS/Stephane Mahe)

Um novo esboço do Acordo foi apresentado esta tarde na COPP21. São muitas, porém, as arestas por limar pelo que Laurent Fabius já avisou que será necessário trabalhar pela noite dentro por forma a que tudo esteja concluído até à noite de sexta-feira.

Em causa está a busca de um acordo vinculativo limitando o aquecimento climático do planeta, a braços com uma taxa insustentável de gases com efeito de estufa.

Trata-se de um documento simplificado, de 48 passámos para apenas 29 páginas. Muitas arestas continuam por limar. Se o aumento de temperatura se deverá situar em 1,5 ou em 2 graus celsius, por exemplo ?.

É também o caso da definição dos financiamentos em prol dos países em vias de desenvolvimento para que estes se possam adaptar às consequências das alterações climáticas e atenuar ainda as suas emissões de gases com efeito de estufa.

Um terceiro ponto por definir é o da chamada diferenciação, ou seja a integração em cada artigo do texto da responsabilidade individual dos Estados… e isto em função das suas capacidades e dos seus meios financeiros.

O ministro francês dos negócios estrangeiros preveniu esta tarde que há que trabalhar pela noite dentro e ainda amanhã. Muito já foi feito, muito ainda, porém, continua por fazer, afirmou Laurent Fabius.

Presente também no Bourget, arredores de Paris, está, António Mexia, Presidente do Conselho de Administração da EDP, Electricidade de Portugal.

Este dirigente empresarial assume um optimismo crítico em relação às metas traçadas nesta conferência da ONU sobre alterações climáticas, realçando a importância de um mecanismo estipulando o preço do dióxido de carbono. (RFI)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA