Queda da Apple ofusca recuperação das matérias-primas e arrasta Wall Street

(NEGOCIOS)

As principais bolsas norte-americanas encerraram em terreno negativo, pela terceira sessão consecutiva, penalizadas sobretudo pela queda da Apple, que liderou as descidas do sector tecnológico e ofuscou a retoma nas “commodities”.

O Dow Jones fechou a recuar 0,43% para 17.492,30 pontos, e o Standard & Poor’s 500 cedeu 0,8% para 2.047,70 pontos – naquela que foi a quinta queda em seis sessões.

O índice tecnológico Nasdaq Composite, por seu turno, desvalorizou 1,48% para 5.022,86 pontos, sendo o que mais sofreu com as perdas da Apple.

Na sessão desta quarta-feira, os títulos ligados às matérias-primas recuperaram, muito à conta das notícias sobre uma possível fusão entre duas gigantes do sector químico: Dow Chemical e DuPont.

Os preços do crude continuaram hoje em queda, desempenho que tem castigado os títulos da energia e das “commodities” em geral, mas a notícia de que pode estar para breve o anúncio da fusão Dow Chemical-DuPont acabou por fazer arribar este sector.

No entanto, a Apple teve hoje uma performance bastante negativa, fechando a cair 2,2%- a perda mais acentuada em mais de três semanas -, o que acabou por influenciar o sentimento do mercado, que não saiu do vermelho.

Os receios em torno de um abrandamento económico mundial, reavivados ontem depois dos novos dados decepcionantes da China (as importações diminuíram pelo 13º mês consecutivo), também pesaram na tendência.

Os investidores continuam bastante prudentes enquanto aguardam pela decisão da Reserva Federal norte-americana, no próximo dia 16, relativamente à sua política monetária – com os operadores inquiridos pela Bloomberg a apontarem para uma probabilidade média de 78% de a Fed iniciar a subida dos juros já este mês. (Jornal de Negocios)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA