Profissionais que atuam na Extensão Rural de Moçambique, na África, aprendem a metodologia do SENAR Brasil

Programa brasileiro ProSavana (DW)

Profissionais que atuam na Extensão Rural de Moçambique, na África, aprendem a metodologia do SENAR Brasil

O método de ensino do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR)), que entre suas formas de atuação oferece treinamentos nos locais onde produtores e trabalhadores rurais exercem suas atividades, foi um dos motivos da instituição ter sido convidada a repassar a sua metodologia em missão à Nampula, em Moçambique, na África.

A missão faz parte do Programa de Cooperação Tripartite para o Desenvolvimento Agrícola da Savana Tropical em Moçambique (ProSAVANA) e também contou com a participação de representante da Agência Brasileira de Cooperação.

Durante 10 dias, a Assessora Técnica do Departamento de Inovação e Conhecimento do SENAR, Iara Grillo, e o colaborador Paulo Leal ministraram curso de 28 horas para 30 engenheiros agrônomos, zootecnistas e técnicos em agricultura, todos técnicos do Departamento Nacional de Extensão Agrária de Moçambique. ‘A capacitação foi focada em aspectos educacionais, formulação de planos instrucionais e na vivência de microaulas visando a aplicação da metodologia do SENAR em suas práticas educativas’, declara Iara, informando que os participantes tiveram acesso à série metodológica do SENAR.

Ela acrescenta que foi notável a capacidade e o esforço dos participantes de um modo geral em assimilar a metodologia da formação profissional. ?Isso permitiu excelentes plenárias avaliativas. Foi clara a percepção da importância do uso da metodologia do SENAR em suas práticas extensionistas?, observou.

Avaliação prática

O engenheiro agrônomo e chefe dos Serviços Provinciais de Extensão Rural da Zambézia, José Amândio Lópes, participou da capacitação do SENAR em Moçambique e conversou com a nossa reportagem.

SENAR: Como o Sr. pretende aplicar os conhecimentos adquiridos?

José Amândio Lópes: Irei usar os conhecimentos adquiridos durante a formação para implementação das minhas atividades no dia-a-dia, por meio de práticas de planificação e execução de atividades, seguindo a lógica apreendida. Além disso, vou difundir os conhecimentos para outros técnicos na região onde exerço as minhas atividades de assistência técnica aos produtores. Ao me apresentar para uma audiência/produtores, seguirei a forma de mostrar a importância do assunto a ser tratado para eles. Será útil para uma melhor orientação e avaliação do tipo de matéria a ser tratada, bem como a sua duração.

SENAR: O que mais chamou a atenção durante a capacitação?

A necessidade de planificar para os objetivos. Isto é, a importância de especificar os objetivos gerais, dizer o que deverá ser feito, o que deverá ser entendido por eles, com a ação que se pretende desenvolver.

Sobre o ProSAVANA

Os Projetos desenvolvidos no PROGRAMA ProSAVANA são implementados e coordenados de forma harmoniosa e integrada pelo Ministério da Agricultura e Segurança Alimentar de Moçambique (MASA), pela Agência Japonesa de Cooperação Internacional (JICA) e pela Agência Brasileira de Cooperação (ABC).

A região do Corredor de Nacala, compreendida pelo ProSAVANA, atende as Províncias de Cabo Delgado, Nampula, Zambézia, Niassa e Tete. No entanto, os distritos-alvo consideradas no estudo no âmbito do Programa são: Monapo, Muecate, Meconta, Nampula, Mogovolas, Murrupula, Mecubúre, Ribáuè, Lalaua e Malema na província de Nampula; Cuamba, Mecanhelas, Madimba, Ngauma, Lichinga, Majune e Sanga na província do Niassa; e Gurué e Alto Molócuè, na província da Zambézia.

Por Assessoria de Comunicação do SENAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA