Primeiro-ministro turco acusa a Rússia de “limpeza étnica” na Síria

Premiê turco, Ahmet Davutoglu, durante encontro com a imprensa estrangeira, em Istambul, na Turquia, nesta quarta-feira. 09/12/2015 (REUTERS/Murad Sezer)

O primeiro-ministro da Turquia acusou a Rússia nesta quarta-feira de tentar uma “limpeza étnica” no norte da Síria, dizendo que Moscovo estava tentar expulsar do local populações de turcomanos e muçulmanos sunitas para proteger os seus interesses militares na região.

Os comentários de Ahmet Davutoglu podem complicar ainda mais as tensas relações entre Moscovo e Ancara, já no seu pior momento na história recente depois que forças turcas abateram um avião de guerra russo perto da fronteira entre a Turquia e a Síria no mês passado.

“A Rússia está tentar fazer uma limpeza étnica no norte de Latakia para forçar (para por fora de lá) todos os turcomanos e a população sunita que não têm boa relação com o regime”, disse Davutoglu a jornalistas estrangeiros em Istambul.

“Eles querem expulsá-los, eles querem limpar etnicamente a área para que o regime (sírio do presidente Bashar al-Assad) e as bases russas em Latakia e Tartus fiquem protegidos”, afirmou ele, em inglês.

Os turcomanos são etnicamente próximos dos turcos, e Ancara tem ficado particularmente irritada pelo que diz ser ataques russos contra eles na Síria.

Davutoglu declarou que o bombardeamento russo na região de Azaz, também no noroeste da Síria, foi planeado para cortar as linhas de suprimento de grupos sírios que se opõem a Assad, aliado de Moscovo, e assim beneficiar os militantes do Estado Islâmico.

Moscovo e Ancara têm acusado um ao outro de ajudar o Estado Islâmico. Ambos negam. (REUTERS)

Por Nick Tattersall

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA