Presidente do Equador quase “derruba” Macri em tomada posse na Argentina

Macri é cumprimentado por Correa na posse em Buenos Aires. 10/12/2015 (REUTERS/Martin Acosta)

A posse do presidente da Argentina, Mauricio Macri, de centro-direita, promete trazer mudanças no eixo de centro-esquerda da América do Sul, mas não tão rápido como esteve a ponto de acontecer nesta quinta-feira.

Horas depois de assumir como presidente, Macri recebeu os mandatários dos países da região, entre eles o líder equatoriano de centro-esquerda, Rafael Correa, que era um aliado político da ex-presidente argentina Cristina Kirchner.

Seguindo o protocolo como os demais presidentes, Correa aproximou-se para cumprimentar Macri e sua esposa, Juliana Awada, quando tropeçou no tapete vermelho e, para evitar cair, tentou se segurar em Macri, empurrando o argentino.

“Quase derrubo o governo”, disse Correa a Macri, sorrindo.

“Tão rápido não”, respondeu Macri, entre risos dos presentes na cerimónia no Palácio San Martín, em Buenos Aires.

Tanto Correa como o presidente da Bolívia, Evo Morales, de centro-esquerda, disseram a jornalistas que esperam um diálogo fluido com Macri, apesar das diferenças ideológicos.

O líder da centro-direita argentina assumiu a Presidência nesta quinta-feira após 12 anos de gestão da centro-esquerda peronista, com a promessa de liberalizar o mercado e reactivar uma economia estancada. (REUTERS)

por Magalí Cervantes e Nicolás Misculin

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA