ONU pede fim de prisões arbitrária em Cuba

(AFP)

O Alto Comissário da ONU para Direitos Humanos, Zeid Ra’ad Al-Hussein, manifestou nesta terça-feira sua preocupação pelo grande número de prisões arbitrárias em Cuba nas últimas semanas.

“Houve nas últimas seis semanas centenas de prisões arbitrárias e detenções a curto prazo, o que, na minha opinião, representa uma forma de assédio”, disse Zeid em comunicado publicado no site do Alto Comissariado.

“Muitas vezes [essas prisões] são realizadas sem um mandado e antes de reuniões ou manifestações específicas, e parecem ter por objectivo impedir as pessoas de exercerem seu direito à liberdade de expressão e de reunião pacífica”, acrescentou.

“Fiquei particularmente surpreso que um número de pessoas, incluindo membros do grupo Damas de Branco, foram presos em 10 de Dezembro, Dia Internacional dos Direitos Humanos. Isso mostra o desprezo extraordinário dado pela importância dos direitos humanos por parte das autoridades cubanas”, estimou.

O Alto Comissário instou as autoridades a respeitarem o direito de todos à liberdade de expressão, reunião e associação pacífica, e a cessar a prisão arbitrária de pessoas, especialmente antes, durante ou depois de manifestações pacíficas.

“Faço um chamado à libertação de todos os presos que ainda estão detidos arbitrariamente, como consequência do exercício legítimo de seus direitos”, agregou Zeid. (AFP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA