Moscovo e Frente al-Nusra criticam negociação de opositores sírios

(Foto de HO/SPA/AFP)

A Rússia e o braço sírio da Al-Qaeda criticaram no sábado a conferência que reuniu esta semana vários membros da oposição síria em Riad, na qual os representantes de partidos políticos e facções armadas concordaram em negociar, desde que Bashar al-Assad deixe o poder.

Essas críticas ocorrem alguns dias antes da reunião programada na terça-feira em Moscovo, entre o secretário de Estado americano, John Kerry, e o presidente russo, Vladimir Putin, para discutir o conflito na Síria e a luta contra o Estado Islâmico (EI).

“Apesar dos esforços dos nossos colegas sauditas, a reunião em Riad não representava a oposição síria”, afirmou o ministério russo das Relações Exteriores em um comunicado.

Vários grupos da oposição, formações políticas e grupos armados, anunciaram na quinta-feira em Riad um acordo para uma transição política na Síria, desde que Bashar al-Assad deixe o poder.

A diplomacia russa ressaltou que grande parte da oposição decidiu não participar deste encontro porque não queria sentar na mesma mesa com “extremistas e terroristas”.

“Não podemos aceitar a tentativa desse grupo reunido em Riad de apropriar-se do direito de falar em nome de toda a oposição síria”, ressaltou.

O chefe da Frente al-Nusra, o braço sírio da Al-Qaeda, condenou virulentamente a decisão da oposição de começar a negociar com o governo uma solução para o conflito, que se estende desde 2011 e que causou mais de 250 mil mortes.

“Nós temos que fazer essas conferências e reuniões fracassarem”, afirmou Abu Mohammad al-Jolani à emissora Orient News. (AFP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA