Moçambique: Sul-africanos dominam São Silvestre de Maputo

FUTEBOL - vista da cidade DE MAPUTO 0 em Mocambique quarta 20 de fevereiro de 2013. (ASF/SERGIO COSTA )

Os atletas sul-africanos Sibussiso Nzima e Neneokozo Alamini em federados masculinos e femininos, respectivamente, venceram, ontem, em Maputo, a corrida São Silvestre, na distância de 15 quilómetros.

Sibussiso Nzima bisou, já que ano passado tinha sido ele a vencer, tendo cortado a meta com o tempo de 48 minutos e 4 segundos, que lhe valeu um prémio de 75 mil meticais (1400 euros), valor também ganho por Neneokoso Alamine com o tempo de 1 hora, 5 minutos e 1 segundo.

A partida, conforme estava programado, deu-se defronte da estátua Eduardo Mondlane pontualmente as 16 horas e terminou na praça da Independência.

Flávio Silholhe, duas vezes campeão da São Silvestre (2011 e 2013), foi o melhor entre os atletas nacionais ao cortar a meta em segundo lugar com a marca de 49 minutos e 33 segundos.

O sul-africano Abdenico Machava foi terceiro com o tempo de 49 minutos, 34 segundos.

Nos femininos, a atleta de Nampula, Leveja António, foi a melhor entre as nacionais ao classificar-se em segundo lugar nos federados femininos logo atrás da sul-africana Neneokozo Alamini que se estreou na prova de forma brilhante.

Leveja fez o tempo de 1 horas, 7 minutos e 51 segundos. A terceira posição ficou na posse de Zefarina Marinho com a marca de 1 hora, 8 minutos e 9 segundos.

Na vertente dos populares, Filimone Micas foi o maior galardoado em masculinos com o tempo de 56 minutos e 06 segundos e Gesa Sofia ficou com o título em femininos ao percorrer a distância em 1 hora, 10 minutos e 56 segundos.

Na classe de veteranos, Laclay Bhembe e Priscila Lhamine, em masculinos e femininos, foram os «heróis».

A prova de portadores de deficiência esteve dividida em duas categorias de triciclos e de cadeira de rodas e teve a particularidade de ser disputada em sete quilómetros.

Em triciclos masculinos a prova foi ganha por Mário Bernardo, enquanto em femininos triunfou Sandra Armando.

Nos cadeira de rodas, Abdul Remane e Verónica de Fátima foram os melhores. (ABOLA)

por Alvaro da Costa

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA