Migrantes entraram com passaportes sírios falsos na Alemanha

(AP)

Secretário do Interior da Baviera confirma a entrada de pelo menos uma dezena de refugiados portando documentos semelhantes aos usados por homens-bomba dos atentados de Paris. Paradeiro dos imigrados é desconhecido.

Pelo menos menos uma dezena de migrantes pode ter entrado na Alemanha portando passaportes sírios falsos iguais aos usados por dois dos homens-bomba dos atentados de Paris, comunicou o secretário do Interior da Baviera, Joachim Herrmann, nesta terça-feira (22/12).

Autoridades de segurança alemãs estimam que várias pessoas entraram no país durante os meses de Outubro e novembro portando passaportes sírios com números de série semelhantes aos encontrados junto a dois dos três homens-bombas dos atentados de 13 de novembro. Os dois entraram na União Europeia pela ilha grega de Lesbos. Os ataques próximos ao Stade de France foram reivindicados pelo grupo extremista “Estado Islâmico” (EI).

“Infelizmente, ninguém sabe onde os refugiados em questão estão agora”, disse Herrmann, acrescentando que a preocupação de que possam ter sido enviados pela organização jihadista à Alemanha é uma conclusão óbvia.

Passaportes vendidos pelo EI

O secretário bávaro confirmou o conteúdo da reportagem do tablóide alemão Bild, publicada nesta terça-feira: citando fontes do governo, o diário afirma que os documentos de viagem incluíam passaportes legítimos roubados na cidade síria de Raqqa, auto-proclamada capital do EI.

A reportagem acrescenta que o departamento alemão para imigração e refugiados fez cópias dos passaportes quando da entrada no país, mas deixou de tirar as impressões digitais de seus portadores.

Segundo reportagem publicada no domingo pelo jornal alemão Welt am Sonntag, mais de10 mil passaportes originais em branco teriam sido capturados pelo EI após a conquista de cidades no Iraque e na Síria. A organização teria utilizado os passaportes para arrecadar dinheiro, vendendo-os no mercado negro por até 1.500 dólares.

Em resposta, a Alemanha reintroduziu o controle individual para refugiados sírios no início desta semana. Devido ao grande afluxo de migrantes, o processo para requerentes de asilo havia sido simplificado. (DW)

PV/afp/dpa/rtr

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA