Mercado de títulos de tesouro angolano transaciona 577 milhões de dólares

(Carlos Jorge Monteiro/LUSA)

O Mercado de Registo de Títulos do Tesouro angolano registou entre maio e novembro deste ano negociação de cerca de 500 mil obrigações do tesouro, que totalizou um volume de transações de 577 milhões de dólares.

O Mercado de Registo de Títulos do Tesouro angolano registou entre maio e novembro deste ano negociação de cerca de 500 mil obrigações do tesouro, que totalizou um volume de transações de 577 milhões de dólares. Os resultados alcançados foram hoje divulgados em conferência de imprensa realizada pela Comissão de Mercado de Capitais (CMC) e a Bolsa de Dívida de Valores (BODIVA), para apresentação do mais novo segmento de mercado de capitais, o Mercado da Dívida Corporativa.

Para o presidente do Conselho de Executivo da BODIVA, Pitra Grós, os resultados positivos revelam “o enorme potencial” que o mercado de valores mobiliários representa em Angola. Pitra Grós garantiu que estão criadas todas as condições quer do ponto de vista das regras do mercado, quer do ponto de vista da infraestrutura tecnológica.

Por sua vez, o administrador executivo da CMC, Patrício Vilar, referiu que o mercado secundário da dívida pública, criado há um ano, registou transações no valor de 237.217.641,18 de dólares, que considerou cifra ainda baixa para as aspirações da economia angolana. Patrício Vilar disse ainda que já existem manifestações interesse de seis empresas de elevada dimensão na emissão de títulos, que não avançou os nomes em respeito ao princípio da confidencialidade, tendo uma delas manifestado a intenção de uma emitir o valor de cinco mil milhões de dólares.

O responsável avançou ainda que enquanto as empresas se preparam para o mercado acionista e concluída que está o quadro regulatório e a infraestrutura de pós negociação estão criadas as condições para o arranque do Mercado da Dívida Corporativa. O lançamento deste novo segmento do mercado de capitais acontece na quinta-feira, com a realização de um seminário sobre o tema, com um painel de debates sobre a Viabilidade do Mercado de Obrigações na Atual Conjuntura Económica.

Segundo Patrício Vilar, o seminário visa também começar a educar os emitentes naquilo que são as regras do mercado. Sobre o estudo de diagnóstico das empresas melhores posicionadas no mercado, Patrício Vilar adiantou que entre o primeiro e segundo trimestre do próximo ano deverão ser apresentados os resultados. (OBSERVADOR)

por Lusa

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA