Lunda Norte: Governo perspectiva acções de impacto social para 2016

Governador da Lunda-Norte, Ernesto Muangala (Foto: Angop/Arquivo)

As infra-estruturas rodoviárias que ligam a sede do município do Cuango, Vila do Cafunfo à comuna do Luremo e do Xinge ao Lubalo, constam das acções de grande impacto social do pelouro da Lunda Norte perspectivadas para 2016, segundo informou, terça-feira, no Dundo, o governador provincial, Ernesto Muangala.

O governante, que fazia balanço durante a habitual cerimónia de cumprimentos do fim de ano, frisou a necessidade da construção de uma nova central hidroeléctrica para produzir 32 megawatts, bem como o alargamento da rede de distribuição da água, de que beneficiam já 535 mil 750 habitantes, desde o início de 2015.

Na vertente do ensino, referiu que o programa de alfabetização e aceleração escolar, visando a experimentação do primeiro cíclo secundário dos alfabetizados e o funcionamento pleno do ensino pré-escolar, que conta com a construção de centros infantis nos municípios de Lubalo, Capenda-Camulemba, Caúngula e Cuilo, merecerão atenção do Governo provincial em 2016.

No prosseguimento do programa de formação técnico-profissional, no Cambulo e Cuango, o governante ressaltou a conclusão do Instituto Médio de Saúde, na cidade do Dundo, com 20 salas de aulas e um internato para albergar 1.440 alunos de especialidades diferentes.

Ainda nesta senda, disse registar com agrado um considerável número de licenciados em Economia e Direito na Universidade Lueje-A-Nkonde, para dar resposta aos diversos fenómenos sócio-culturais da região.

No quadro da expansão da rede sanitária, disse constar do programa do seu pelouro, para o próximo ano, a entrada em funções dos hospitais da centralidade do Mussungue, materno infantil e o Centro de Diagnóstico Provincial, no Dundo, além de referência nos municípios do Cuango, Cuilo, Lucapa, Capenda-Camulemba.

Para a aceleração do processo da diversificação da economia, fragilizada pela baixa do petróleo, principal fonte de receitas do país, Ernesto Muangala, apela aos industriais a aportarem no investimento na Lunda Norte, essencialmente, nas áreas da agricultura, pecuária, turismo, plantação da borracheira, entre outras, visto haver condições para cada opção. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA