Luanda: Mais de três mil residências da Ilha do Cabo beneficiam de água canalizada

PCA da Empresa Pública de Águas, Leonídio Ferreira de Ceitas (Foto: Rosário dos Santos)

Três mil e quatrocentas e setenta e oito residências do bairro da Ilha do Cabo, no distrito urbano da Ingombota, em Luanda, beneficiam a partir de hoje, sexta-feira, de água canalizada, no quadro do programa de distribuição e ligações domiciliares da Empresa Pública EPAL-EP.

Para os sectores da Salga, Lelo, Pescador e Ponta estão a beneficiar dois mil e 984 casas, as 494 restantes beneficiárias são da Chicala-I.

O acto oficial e simbólico ocorreu numa unidade policial, uma escola do primeiro ciclo e em um hospital.

Em declarações à imprensa, a margem do processo de ligações, o presidente do Conselho da Administração da Empresa Pública de Águas, Leonídio Ferreira de Ceitas, disse estar em execução 700 mil ligações a nível de todos os municípios de Luanda, sendo um projecto que vai melhorar substancialmente a vida dos populares, porque passarão a receber água com regularidade e qualidade nas suas residências.

O responsável disse pretender-se, com esta iniciativa, servir cada vez mais as pessoas e fazer com que elas tenham melhores condições de vida, porque são áreas com enormes carências, e “esta é uma das formas de diminuir as dificuldades da população que vive nestas localidades”.

Quanto as modalidades de pagamento, adiantou que a partir do momento em que a canalização das residências estão conectadas a rede da Epal os consumidores passam a pagar o preço estabelecido para o consumo de água.

Entretanto, disse, no acto da ligação as pessoas pagam uma taxa simbólica equivalente a 15 mil Kwanzas, valor inicial estabelecido, mas depois passam a pagar o normal (mil a 2000 Kwanzas) em função daquilo que cada um consumir.

” Os beneficiários devem ajudar a Epal, pagando o que consomem, porque é um projecto importante que vai modificar a vida da população em Luanda, por isso vamos continuar a trabalhar para que as 700 mil ligações sejam concluídas” afirmou.

Disse que muitas residências ainda não beneficiam de água, por se situarem em áreas onde as construções inviabilizam a circulação normal da água.

Garantiu que a nível do município de Luanda está-se a trabalhar para superar todas as dificuldades encontradas no decurso do referido projecto, e atingir dos bairros periféricos dos diversos distritos.

O responsável apelou a participação dos clientes na fiscalização do bem que doravante vai melhorar a vida dos moradores daqueles bairros.

Para o município de Luanda esta em curso um programa de ligação domiciliar que vai culminar, na próxima semana, nos distritos urbanos da Maianga e Samba, nos bairros do Prenda e Maianga

O acto consta do projecto das 700 mil ligações, uma iniciativa do executivo angolano com o propósito de aumentar a distribuição de água potável , com a construção de novas redes e realização de ligações domiciliares nas zonas periféricas de Luanda. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA