Huíla: MINARS termina formação de defesa e protecção a pessoa idosa

Idosos abandonadas (Foto: GPSL/Gandy Bênção)

Cento e 37 activistas de defesa e protecção ao idoso terminaram na sexta-feira, no Lubango, o primeiro curso de formação e capacitação de liderança da província da Huíla, com vista a melhoria da qualidade de vida das famílias vulneráveis e desta franja na comunidade.

O evento foi iniciativa do Conselho Provincial Administrativo de Defesa da Pessoa Idosa e durou 36 dias, onde os participante dos municípios que compõem a província foram dotados de conhecimentos de como lidar com o idoso e com as crianças abandonadas, sobre administração e organização.

A agenda do curso inscreveu ainda a educação moral e cívica, técnicas de atendimento a deficientes físicos, antigos combatentes, entre outros aspectos importantes para o sucesso da defesa e protecção da pessoa idoso.

Ao encerrar, a directora provincial do MINARS, Amélia Casimiro, disse que a assistência social é uma abordagem que visa proteger os grupos mais vulneráveis, pelo que quem nesta área trabalha deve obedecer critérios rigorosos.

Considerou importante que se faça um trabalho conjunto, educando a sociedade para valorizar mais e melhor o idoso e fazer com que o abandono a que muitos estão sujeitos diminua.

Afirmou que a independência, participação, cuidados, auto-realização e dignidade são aspectos fundamentais que um Estado deve ter em conta para direccionar as famílias e as comunidades, pois asseguram um envelhecimento activo e seguro, bem como a solidariedade inter-geracional.

A nível da província da Huíla, o MINARS controla e assiste 21 mil e 200 idosos. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA