Huíla: Administrador destaca melhoria na gestão urbana e concessão de terrenos em Lubango

Huíla: Avenida no bairro do Chioco, no Lubango (Foto: Manuel Fernandes)

A melhoria na gestão urbanística e na concessão de terrenos para a auto-construção dirigida, no Lubango, comparativamente a anos anteriores, foi destacado hoje pelo administrador municipal, Francisco Barros, como um dos “grandes feitos” do seu pelouro, em 2015.

Falando à Angop, salientou que a melhoria registada se baseou na abertura de novas urbanizações a nível do município, concretamente nas localidades da Figueira, Mitcha e Quilemba para os mais variados fins urbanísticos, tendo sido distribuídos seis mil lotes, dos dez mil previstos.

Indicou a transferência do mercado do João de Almeida para um outro construído na área do Rio Nangombe, com melhores condições de acomodação dos vendedores e compradores, de conservação de produtos, e de saneamento do meio, o que conferiu uma outra visão urbanística ao local.

Disse que que no âmbito da requalificação da cidade do Lubango, iniciado este ano, fez-se um trabalho árduo, onde foram abertas e asfaltas várias ruas, na perspectiva de descongestionar o trânsito a nível da cidade e devolveu o traçado arquitectónico e paisagístico da mesma.

“Reconhecemos não ser uma tarefa fácil de ser desenvolvida, mas também achámos que não é impossível realizá-la. Entretanto, exige de todos nós munícipes um grande desempenho e abnegação” – realçou.

Apontou como feitos do ano que finda, apesar da crise, a materialização de diversos projectos concebidos para o município, com destaque para a construção de escolas de 20, 12 e seis salas de aulas, postos e centros médicos nas quatro comunas, implementação do programa “Água para Todos”, entre outros.

No âmbito do programa de combate à pobreza, foram entregues a camponeses meios agrícolas, abertura de um tanque para a prática de aquicultura, saneamento básico, iluminação pública e embelezamento das comunas.

O município do Lubango tem uma população estimada em 731 mil e 757 habitantes, de acordo com os dados provisórios do Censo2014. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA