Higino Carneiro defende maior protecção dos cidadãos no momento actual

Francisco Higino Lopes Carneiro, (Foto: Pedro Parente)

O governador do Cuando Cubango, Higino Carneiro, defendeu sábado a necessidade de maior garantia e protecção dos cidadãos locais e dos seus bens, sobretudo na capital da província, Menongue, em função do actual movimento de pessoas naquela região, dado o seu desenvolvimento multifacetado que regista.

O governante advogou esta política no acto da cerimónia de encerramento do primeiro curso básico de agentes da Polícia Nacional dos distintos órgãos do Ministério do Interior, que contou com a participação de dois mil e 049 formandos, numa duração de seis meses.

Segundo afirmou, o aumento da capacidade operativa da Polícia Nacional e dos demais órgãos do Ministério do Interior no Cuando Cubango, vai permitir que haja um maior controlo da criminalidade, mais eficácia na prevenção da sinistralidade rodoviária, melhores medidas de combate à emigração ilegal, bem como na execução de medidas privativas à liberdade e reinserção dos reclusos.

Informou aos presentes que a melhoria do ambiente de negócios, bem como a melhoria das condições de vida nesta província, originou uma grande concentração de mais de 70 porcento da população do Cuando Cubango no município de Menongue, sobretudo na cidade.

De acordo com Higino Carneiro, esta realidade promoveu o movimento de mais cidadãos na província, o que impõe, por este facto, a realização de acções diversificadas com a utilização de mais forças e meios, de modo a garantir maior e melhor protecção dos cidadãos e dos seus bens.

Das acções efectivas, o governador solicitou a contínua prevenção dos incêndios, afogamentos e uma maior intervenção no âmbito das calamidades naturais, bem como o aumento da capacidade operativa para vigilância nas fronteiras terrestres e fluviais, porquanto a província faz fronteira com as repúblicas da Namíbia e da Zâmbia, numa extensão de 910 quilómetros.

Solicitou igualmente aos formando a empenharem-se diariamente, uma vez que não foi fácil para eles passarem por esta preparação, vaticinando que se chegaram ao fim do curso é porque foram capazes de consentir sacrifícios, aprender as matérias e consciencializarem efectivamente da necessidade da importância da formação que garante a preparação para os desafios que a função operativa os reserva.

Higino Carneiro sublinhou que o governo da província espera dos formandos disciplina, competência, responsabilidade, educação, lealdade e o desempenho profissional exemplar, para que sejam o orgulho de suas famílias e das comunidades, tendo reiterado a disponibilidade do governo continuar a albergar cursos do género para o benefício do Cuando Cubango, bem como das províncias vizinhas, como sucedeu desta com o Bié e Cunene.

“Quando avaliamos o índice de criminalidade observamos que os de maior realce são os homicídios voluntários, violação de menores, roubos e furtos, onde grande parte destes ocorre no seio das famílias entre amigos e outras pessoas da mesma comunidade, muitas vezes por motivos insignificantes”, acrescentou.

Apelou os cidadãos no sentido de constituir a consciência num elemento fulcral, por quanto a vida é um bem maior que a todo custo deve ser preservado, tendo, por outro lado, reconhecido que o reforço dos efectivos depois deste curso que a província vai receber, haverá seguramente, uma redução significativa no índice de criminalidade.

O acto de encerramento foi orientado pelo Ministro do Interior, Ângelo Veiga Tavares. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA