Greve dos transportes colectivos de Luanda

Luanda privada dos seus autocarros com a greve da TCUL (Miguel Martins)

Os trabalhadores da empresa pública de transportes de Luanda -TCUL – iniciaram uma greve por tempo indeterminado, exigindo o pagamento de 9 meses de salários em atraso.

Segundo a comissão sindical os 1 900 trabalhadores só retomariam o trabalho caso o caderno reivindicativo seja aceite.

Reivindicações que passam por melhores condições de trabalho e assistência médica.

A empresa é considerada tecnicamente falida pelas autoridades. A maioria dos autocarros está avariada e, sem recursos financeiros, não há possibilidade de comprar peças de reposição.

Desde o início da crise financeira em Angola foram várias as empresas públicas e privadas que faliram. Mais de 50 000 trabalhadores caíram no desemprego desde 2014, alegam os sindicatos. (RFI)

com Avelino Miguel, correspondente em Luanda.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA