FSDEA mantém cotação elevada no índice de transparência

Insígnia do Fundo Soberano de Angola (Foto: Pedro Parente)

O Fundo Soberano de Angola (FSDEA) recebeu uma cotação elevada na classificação do Índice de Transparência de Linaburg-Maduell relativa ao segundo trimestre de 2015, elaborado pelo Instituto dos Fundos Soberanos (SWFI).

De acordo com uma nota de imprensa da instituição entregue hoje, quarta-feira, à Angop, em Luanda, o FSDEA obteve uma pontuação de oito numa escala de dez valores, mantendo-se no patamar dos fundos soberanos mais transparentes do mundo.

Reagindo à classificação obtida, o Presidente do Conselho de Administração do FSDEA, José Filomeno dos Santos, declarou que “A cotação positiva atribuída enfatiza o compromisso da nossa equipa com os elevados padrões de profissionalismo, ética e responsabilidade”.

“O Executivo angolano definiu mecanismos rigorosos para garantir que o FSDEA adira as melhores práticas de gestão do sector. Continuaremos a adoptar estes princípios em 2016 e mais além, em observância a nossa responsabilidade colectiva perante todos os angolanos”, garantiu o PCA.

Por seu turno, Carl Linaburg, Presidente de Administração do SWFI afirmou que “Desde a sua fundação, o FSDEA tem revelado um grau de transparência e liderança exemplar em relação a outros fundos soberanos no continente africano”.

O Índice de Transparência de Linaburg-Maduell foi criado por Carl Linaburg e Michael Maduell em 2008, através do Instituto dos Fundos Soberanos. É um método de classificação reconhecido internacionalmente, que categoriza os fundos soberanos mundiais de acordo com o seu grau de transparência.

A classificação é baseada em vários critérios, que incluem a divulgação da finalidade estratégica de cada fundo soberano (SWF), a origem do seu capital, os mecanismos de supervisão regulatória, a imparcialidade da auditoria das suas demonstrações financeiras, a adopção de normas de conduta ética, a estratégia de investimento e a remuneração da sua gerência.

O Fundo Soberano de Angola é uma instituição pertencente integralmente ao Estado de Angola, criado de acordo com as normas internacionais de governação, que diversifica gradualmente a sua carteira de investimentos através de alocações de capital à vários sectores e classes de activos, de acordo com sua política de investimento.

Ao privilegiar investimentos financeiros de longo prazo, o Fundo desempenhará um papel importante na promoção do desenvolvimento social e económico de Angola e na geração de reservas para os cidadãos angolanos. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA