Franceses votam na segunda volta das Regionais (actualização)

Franceses nas urnas este domingo, 12 Dezembro, para votarem na segunda volta das eleições regionais (RFI)

Os franceses estão a votar desde esta manhã de domingo, 13 de Dezembro, na segunda volta das eleições regionais, para elegerem os seus órgãos a esse nível político, nomeadamente, os conselheiros regionais e o respectivo presidente regional.

Cerca de 46 milhões de franceses estão a votar este domingo 13 Dezembro, na segunda volta das eleições regionais, sabendo que há 13 Regiões, que elegerão igualmente o seu Presidente.

As mesas de voto encerram entre as 18 horas e 20 horas de Paris, consoante o tamanho das cidades, municípios e departamentos, escalões inferiores e incluídos na Regiões.

Até há pouco a taxa de participação era de cerca de 20 por cento, um pouco mais do que na primeira volta no dia 6 de Dezembro, à mesma hora.

Recorda-se que na primeira volta de há uma semana passada, houve uma taxa de participação de cerca de 50 por cento dos franceses, o que quer dizer que metade do eleitorado ficou em casa ou preferiu ir à pesca ou às casas de campo, preferindo não votar. Teme-se assim a abstenção não seja alta e os indicadores disponíveis nos dizem que vai haver um aumento de votantes.

Mas durante a campanha esta semana para a segunda volta deste domingo, os partidos multiplicaram apelos aos franceses para exercerem o seu direito de voto. Convém dizer que o voto não é obrigatório em França, como acontece em certos países, como no Brasil.

Está-se pois na expectativa e uma certa tensão com os políticos de todos os quadrantes desejando que os franceses se desloquem às urnas. Uma tensão tanto mais que há muitas triangulares entre a direita, a esquerda e a extrema-direita.

De notar, enfim, que na primeira volta, a Frente Nacional, de Marine Le Pen, ganhou, as nível nacional as eleições regionais, conseguindo vencer em 6 regiões de um total de 13 regiões em França.

A direita dos Republicanos e aliados do centro, obtiveram 3 regiões e o Partido socialista, no poder, e seus aliados, obtiveram também 3 regiões.

Mas os socialistas retiraram-se de duas das regiões, no norte, ganha com 40 por cento por Marine Le Pen, da Frente Nacional, e no sudeste, ganho, também pela extrema-direita, por Marion Lepen, sua sobrinha, uma retirada que o PS, quis que beneficiasse o candidato da direita.

Já, os Republicanos, decidiram manter todos os seus candidatos, com o seu líder Sarkozi, argumentando, que a direita e a alternativa à Frente Nacional, e que portanto, não escolheria nem a esquerda nem a extrema-direita. (RFI)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA