Filipe Mukenga coloca no mercado livro “Vida Poesia e Canções”

músico e compositor Filipe Mukenga (arquivo) (Foto: Pedro Parente)

O músico angolano Filipe Mukenga regressa ao mercado, mas desta vez com um livro intitulo “Vida Poesia e Canções”, cujo lançamento acontece dia 19 deste mês no Memorial Dr. Agostinho Neto, em Luanda.

Segundo uma nota de imprensa a que a Angop teve acesso hoje, segunda-feira, a obra inclui un CD retrospectivo dos melhores momentos musicais do cantor e compositor.

Filipe Mukenga tem uma experiência musical como resultado de uma peregrinação apaixonada por vários estilos e tendências, que passam pela recolha da música tradicional angolana, pelas influências da Música Popular Brasileira, pelo rock e pelas sugestões rítmicas e vocais do jazz.

Na adolescência viveu intensamente o período em que a música portuguesa e a eclosão dos conjuntos de música moderna conviviam nos míticos anos sessenta, com os segmentos mais representativos da Música Popular Angolana.

Em 1990, Filipe Mukenga cria a banda Madizeza com KinitoTridande (baixo), Rui César (teclas) Marito Furtado (bateria) e Joãozinho Morgado (tumbas). A Banda Madizeza foi a formação de base com a qual gravou, em Portugal, o álbum “Novo Som’’ (1991), o primeiro da sua carreira, com a participação do cantor Rui Veloso, na harmónica.

“KiandaKi Anda” (1995), o segundo álbum de Filipe Mukenga é uma proposta musical mais africana, ao nível das harmonias, um CD que consagrou a sua versatilidade junto das elites musicais africanas com residência em Paris. “KiandaKi Anda” foi eleita no Top Kilimanjaro da Rádio 1, do Gabão, emparceirando com ícones da música africana.

A parceria entre Filipe Mukenga e Filipe Zau,a nível da produção textual, em mais de 80 canções, muitas das quais não gravadas, data de 1978. Com Filipe Zau surgiu “ O canto da sereia, o encanto” uma opereta em duplo álbum que narra a saga dos marinheiros angolanos na época colonial, conto com as participações de Carlos Burity, Eduardo Paim, Katila Mingas e o cantor português Fernando Tordo.

“Muimbuiami” (minhas canções), gravado no Brasil (Salvador da Bahia), a penúltima obra discográfica de Filipe Mukenga, contou com a prestimosa colaboração de Djavan. Um reencontro que exalta o lado “afro” do cantor Brasileiro.

“Nós somos nós”, último trabalho discográfico de Filipe Mukenga, acusa, de forma visível, o lirismo das guitarras da banda de Zeca Baleiro, um cantor e compositor do Maranhão da geração pós-tropicalista. Gravado no Rio de Janeiro e São Paulo, o CD conta com as participações especiais de Vânia Abreu, na canção “Aprisionar a negra noite”, de Martinho da Vila, no tema “Paquete”, e do produtor do CD, Zeca Baleiro, na canção “Uma volta e meia”. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA