Exército da Nigéria mata 300 membros de seita xiita

(DR)

A organização Human Rights Watch (HRW) denunciou hoje o massacre de cerca de 300 membros do Movimento Islâmico da Nigéria, com atividade no norte do país, mas sem ligação ao grupo radical Boko Haram.

Soldados nigerianos mataram os fiéis xiitas em ataques registados em três pontos da cidade de Zaria, entre 12 e 14 de dezembro, relataram testemunhas e autoridades locais à organização, segundo um comunicado.

Pelo menos 300 xiitas morreram, além de um número indeterminado de feridos, e os soldados queimaram os corpos em valas comuns, sem a autorização das respetivas famílias, escreve a agência Efe.

O Movimento Islâmico da Nigéria é uma seita xiita com ligações estreitas ao Irão e estabelecido em Zaira, no estado nigeriano de Kaduna.

O grupo iniciou a sua atividade no país africano em 1980 e conta com cerca de três milhões de fiéis na Nigéria.

“Não tem ligações ao Boko Haram, um grupo radical que opera também no norte da Nigéria e cujos membros têm atacado xiitas e outros”, esclareceu a HRW.

A Nigéria vive sob ameaça do grupo ‘jihadista’ Boko Haram, que luta por impor um estado islâmico no norte do país, o que desencadeou uma violenta repressão por parte do exército, que cometeu violações contra os direitos humanos, escreve a agência Efe. (Noticiasaominuto)

por Lusa

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA