Drones “invadem” Washington (vídeo)

(EURONEWS)

Criaram um grande frenesim em Washington e não são candidatos presidenciais: São drones comerciais, objetos mais emblemáticos da economia hi-tech que tiveram agora direito a um salão na capital norte-americana. O National Drone Show#.

Os drones são alternativas importantes em atividades em que a vida humana não pode ser colocada em risco, seja em ações militares, segurança, operações de busca e socorro, vendas ou agricultura: “Fazemos soluções por medida para os fabricantes de drones. Neste produto colocámos dois sensores, uma câmara GoPro e uma câmara térmica. É bom para ser usado em operações de socorro, inspeção de peinéis solares e agricultura. Temos muitos clientes”, conta Matthew Creger, da Intelligentuas.

O que inicialmente era um “hobby”, para muitos, está a tornar-se num grande negócio. O mercado mundial de drones pode atingir dois mil milhões de euros dentro de apenas sete anos, segundo um estudo.

Brian Grant, da Yuneec Electric, mostra o modelo mais importante da empresa, o Tornado H9-20: “É destinado a consumidores profissionais. Tem uma autonomia de mais de 30 minutos, carrega mais de dois quilos e pode andar mais de quilómetro e meio. Claro que é preciso saber manobrá-lo, mas é simples, é só tirar da caixa, carregar as baterias e usar”.

Os fabricantes estão otimistas quanto ao futuro: “A indústria quer crescer. Há potencial, é uma indústria que vale mil milhões de dólares e vai valer ainda mais. Veio para ficar. A Amazon quer usá-los e a Google também”, remata Brian Grant.

Todos os países industrializados, no mundo inteiro, estão a investir em drones e a aumentar o leque de desenvolvimentos tecnológicos e de aplicações possíveis. A procura é alta, sobretudo, no que toca às aplicações militares, mas as aplicações comerciais estão a ganhar terreno.

Já um setor em que vai haver um “boom” no uso de drones, na opinião dos especialistas, é o da polícia: “Penso que, na próxima década, vai haver mais drones usados por serviços de polícia. No condado de Fairfax temos dois helicópteros, que acarretam custos muito grandes. Os drones podem fazer o mesmo trabalho de vigilância aérea muito depressa e resolver um grande número de situações de forma rápida e segura”, diz Bob Blakey, da polícia do condado de Fairfax, na Virgínia.

Nesta exposição em Washington há drones para todas as bolsas. Os mais baratos andam à volta dos dois mil dólares, enquanto os mais sofisticados podem chegar aos 15 mil ou mesmo aos 30 mil dólares.

Mas esta expansão do mercado dos drones não se vai fazer sem haver leis a condizer. As autoridades americanas preparam já regulações do espaço aéreo adaptadas ao uso destes aparelhos: “Nos Estados Unidos, espera-se que sejam oferecidos, este Natal, cerca de meio milhão de drones. Mas o divertimento pode não durar muito tempo, já que a Autoridade Federal da Aviação anunciou que, em breve, vão ser introduzidas regulações rígidas para garantir a segurança do espaço aéreo”, conclui o correspondente da euronews em Washington, Stefan Grobe. (EURONEWS)

por Ricardo Figueira | com STEFAN GROBE

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA