Debate sobre acesso a água potável na África Ocidental e Central

(Reuters)

Cabo Verde tem uma das maiores taxas regionais de cobertura de água potável. Esta é a conclusão de um relatório apresentado no Senegal sobre os países da África ocidental e central. São Tomé e Príncipe lidera a classificação com 97%, o Gabão tem 93 e Cabo Verde 92%.

Os governos da África Ocidental e Central, empresários e ONG estão reunidos na capital do Senegal, Dacar, num encontro à procura de mais recursos para aumentar o acesso à água potável, a Organização Mundial de Saúde e a Unicef revelam, num Relatório Conjunto do Programa de Monitorização 2015, que as maiores taxas regionais de cobertura de água potável são de São Tomé e Príncipe com 97%, do Gabão com 93% e de Cabo Verde com 92%.

Apesar das carências financeiras, Cabo Verde tem desenvolvido projectos considerados inovadores e audaciosos para a mobilização de distribuição de água potável.

No âmbito do segundo compacto do Millenium Challenge Account, foram financiados com 39 mil contos as obras de expansão da rede de distribuição de água potável nos bairros periféricos da cidade do Mindelo, na ilha de São Vicente. Um programa que teve o forte envolvimento das famílias beneficiadas, como explicou à imprensa, Aguinaldo David, de Amigos da Natureza, ONG que executou o projecto.

Para levar água a todas as famílias, o Governo está a mobilizar as águas à superfície e subterrâneas e a concentrar-se nas águas superficiais, com a desmineralização de água do mar um pouco por todo o país. (RFI)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA