Criticado por uns e elogiado por outros, eis António Costa

(DR)

Construtor de poder, realista, paciente, habilidoso e inteligente. Mas há também que o considere “manobrador” e “maquiavélico”.

Chegou ao poder depois de uma derrota nas legislativas e ocupa hoje o lugar de primeiro-ministro de Portugal. O Diário Económico traça um perfil de António Costa.

Define-se como um “homem de ação” e quem o elogia não se poupa nas palavras. É o caso de Santana Lopes, que num debate recente na SIC Notícias se referiu ao secretário-geral do PS como um construtor de poder, realista, paciente, habilidoso e inteligente.

“Estive quatro anos na Câmara Municipal de Lisboa. Disputei eleições com ele, perdi por cinco pontos e o que é que ele fez? Juntou toda a gente. Fez coligações à Esquerda, à Direita, acima, abaixo, ao Centro-Esquerda, ao Centro-Direita. Era extraordinário”, disse o antigo primeiro-ministro social-democrata.

É por isso que não encara com surpresa a reviravolta a que assistiu no panorama político nacional. “Ele é muito habilidoso nestas matérias, é inteligente. E o Centro-Direita devia ter olhado para o adversário e percebido que ele é um construtor de poder com grande capacidade. E com muitos anos, muito batido. A partir de uma derrota, ele constrói uma solução de poder. E o resto é conversa”, acrescentou o provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.

Mas, assim como nos elogios, há quem não poupe António Costa nas críticas. E estas vêm mesmo de alguns elementos do partido, que o qualificam de “manobrador” e “maquiavélico”, recordando até a forma como tirou António José Seguro da liderança do PS.

Uma análise feita para o Diário Económico usando o teste Myers-Briggs Type Indicator dá conta de um António Costa “engenhoso, estratega visionário que procura compreender e melhorar o mundo em que vive e excelente a improvisar e a encontrar soluções criativas”. (Noticias ao Minuto)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA