Corte Suprema indiana proíbe a venda de carros de luxo a diesel na capital

(AFP)

A Corte Suprema indiana proibiu provisoriamente, nesta quarta-feira, a venda, em Nova Délhi, de novos carros de luxo e veículos 4×4 consumidores de diesel, para reduzir a poluição na capital mais contaminada do mundo.

A Corte também proibiu a entrada na capital de camiões com mais de 10 anos que circulem a diesel.

O primeiro juiz da mais alta jurisdição indiana, T.S. Thakur, ordenou a proibição de matrícula de novos veículos a diesel equipados com um motor superior a 2000 cc, característica dos 4×4, jipes e carros de luxo fabricados por BMW, Toyota e outros construtores.

Esta proibição permanecerá em vigor até 31 de Março, segundo os meios de comunicação indianos.

Segundo a defensora do Meio Ambiente Sunita Narain, presente na audiência, a Corte também ordenou aos táxis que circulam em Déli que passem do diesel ao gás natural até 31 de Março. Também proibiu a queima de lixo.

“Não há direito mais fundamental que o de respirar ar puro, e é o que a Corte reconheceu hoje. Trata-se de uma urgência de saúde pública”, disse Narain à imprensa.

As autoridades de Déli foram severamente criticadas nos últimos anos por sua falta de acções contra a poluição. Diante destas críticas, o Executivo decidiu testar a circulação alternada de veículos particulares por um período de duas semanas, a partir de 1º de Janeiro.

Mais de 1.400 novos veículos se somam a cada dia à frota de 8,5 milhões de automóveis que circulam pela capital indiana, o que agrava a espessa nuvem poluente.

Déli é considerada a cidade mais poluída do mundo pela Organização Mundial da Saúde (OMS). No inverno, os níveis de poluição disparam nesta cidade de 17 milhões de habitantes, já que milhares de pessoas acendem fogos para se aquecer.

No entanto, diferentemente de Pequim, outra cidade da Ásia muito poluída, as autoridades de Déli não emitem alertas de poluição destinados à população. (AFP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA