Colaboradora da ONU é morta a tiros em Mogadíscio

(Foto de MOHAMED ABDIWAHAB/AFP/Arquivos)

Uma colaboradora do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur) e uma pessoa que a acompanhava foram mortas a tiros, nesta segunda-feira, em Mogadíscio – anunciou a órgão, em um comunicado divulgado em Genebra.

“É com uma grande tristeza que o Acnur tomou conhecimento da morte de uma de nossas colegas, Amina Noor Mohamed, esta tarde, em Mogadíscio, na Somália”, de acordo com a nota.

De acordo com a agência, Amina Mohamed foi assassinada por “homens armados, quando viajava em um veículo privado dirigido por um membro do pessoal de uma organização ligada a Acnur, que também morreu neste ataque”.

Até agora, não houve qualquer informação sobre os autores do atentado, mas os trabalhadores humanitários, entre eles o pessoal da ONU, já foram alvo de militantes islamitas shebab. Eles lutam contra o frágil governo somali, apoiado pelo Ocidente.

O alto comissário da ONU para o Refugiados, o português António Guterres, disse que esse ataque “serve como mais uma lembrança sobre os perigos que muitos trabalhadores humanitários enfrentam em seu trabalho quotidiano”.

Em Abril, quatro funcionários da UNICEF, o Fundo das Nações Unidas para a Infância, foram mortos num ataque reivindicado pelos shebab. Os islamitas declararam a colaboradores da ONU que visaram “forças de colonização da Somália”.

Em Dezembro de 2014, quatro somalis foram mortos num ataque, também reivindicado pelos shebab, de um homem-bomba que lançou o carro-bomba contra um comboio da ONU em Mogadíscio.

Em Junho de 2013, os islamitas realizaram um ataque espectacular contra o principal complexo da ONU na capital somali, deixando 16 mortos. (AFP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA