Chefe da Segurança Militar vai ser ouvido no julgamento dos activistas angolanos

Julgamento dos activistas em Luanda (VOA)

O julgamento dos 17 activistas acusados dos crimes de rebelião e de actos preparatórios de golpe de Estado será retomado a 11 de Janeiro, com as audiências a decorrerem até 14 do mesmo mês.

Nesse período serão ouvidos o chefe do Serviço de Inteligência e Segurança Militar (SISM) das Forças Armadas Angolanas (FAA), António José Maria, e dois tenentes-coronéis das FAA, Agatão Dongala Camate e Domingos Francisco.

Estes dois últimos são tidos como os autores dos vídeos que estão a ser usados pelo Ministério Público como prova contra os 17 arguidos.

Entretanto, os 15 activistas detidos desde 20 de Junho em diversas prisões de Luanda começam a cumprir a prisão domiciliária decretada pelo juiz Januário Domingos José, ao abrigo da nova legislação que entrou em vigor nesta sexta-feira.

Para garantir o cumprimento da pena, a Polícia Nacional e a Direcção-Geral dos Serviços Penitenciários destacaram mais de 150 efectivos, bem como psicólogos em caso de necessidade.

Recorde-se que hoje, os activistas Adolfo Campos e Rosa Conde foram detidos quando se encontravam à frente do Tribunal Provincial de Luanda, à espera de que os 15 réus recebessem o mandado de prisão domiciliária.

Horas depois foram libertados por intervenção do advogado David Mendes. (VOA)

Coque Mukuta

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA