Bié: Crédito agrícola dever ser concedido a camponeses necessitados

Bié: Sebastião Augusto - Presidente da Associação Industrial de Angola (AIA) no Bié (Foto: BARTOLOMEU DO NASCIMENTO)

Presidente da Associação Industrial de Angola (AIA) no Bié, Sebastião Augusto, alertou hoje, no Cuito, a necessidade do governo ter maior cuidado na entrega do crédito agrícola, sublinhando que devem ser beneficiados realmente os camponeses necessitados.

Em declarações à imprensa, Sebastião Augusto frisou que o crédito de campanha deve ser entregue aos camponeses que realmente precisam e querem firmar-se na actividade do campo, em vez de outros, que além de estarem socialmente e financeiramente bem, investem o dinheiro noutras tarefas.

“ Existe camponeses que vivem uma pobreza extrema, não têm sementes, fertilizantes e outros instrumentos de produção, o crédito agrícola vai valorizar os demais serviços sociais do Governo a favor do agricultor, sobretudo os que habitam nas zonas rurais”, enfatizou.

O crédito agrícola, no seu entender, vai trazer muitos benefícios à província do Bié, desde o combate à fome e à pobreza no seio das populações, mais emprego para os jovens nas comunidades, assim como vai ajudar a potenciar o empresariado local, tendo em conta o aumento da produção alimentar, resultante do incentivo.

Três mil famílias camponeses do município do Cuito vão beneficiar, este ano, do crédito agrícola de campanha, a ser disponibilizado pelo Banco de Poupança e Crédito (BPC), essencialmente para projectos ligados ao cultivo do milho e batata rena.

A província do Bié possui uma população estimada em um milhão, 338 mil e 923 habitantes, maioritariamente camponesa. O sector da agricultura controla 55 cooperativas e 418 associações de camponeses.

A cultura baseia-se no milho, feijão, mandioca, batata rena e doce, frutas e hortaliças diversas, associada à criação de animais, caça e pesca. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA