Bengo regista ano difícil em 2015

Governador do Bengo - João Bernardo de Miranda (Angop)

O governador do Bengo, João Bernardo de Miranda considerou hoje, terça-feira, em Caxito, 2015 um ano difícil, em virtude da crise económica que assola o país e que comprometeu, de modo severo, a evolução dos passos de crescimento e desenvolvimento social sustentado que vinham sendo dado na província.

Segundo o governador, que falava num encontro com os seus colaboradores, a referida crise condicionou a execução e diversos projectos que visam a melhoria das condições de vida da população da província do Bengo.

“Para a província do Bengo, a situação tem sido manifestamente pior, pois não tendo no ano anterior havido cobertura financeira no âmbito do Programa de Investimentos Públicos, por ausência de espaço fiscal, não foi possível neste ano que termina concluir um projecto sequer dos transitados de 2014”, frisou.

Apesar das limitações conjunturais, o governador João Miranda enalteceu as acções do governo provincial nos domínios da saúde, educação, abastecimento de água potável, habitação, vias de comunicação, entre outros, para proporcionar melhores condições de vida às populações desta região do país.

“Perante a imensidão de tarefas acometidas ao governo provincial é, aparentemente, de pouca monta o resumido das realizações ora apresentadas, mas é sumamente dignificante porque resultam do abnegado empenho do colectivo deste governo, se tivermos em conta as contrariedades de vária ordem com que nos confrontamos no país inteiro”, justificou o governante.

João Bernardo de Miranda sublinhou que o Governo do Bengo não vai poupar esforços para garantir a execução do seu Plano Provincial de Desenvolvimento, pelo que apela a consciência de todos para a necessidade de juntar sinergias afim de ultrapassar, o mais depressa possível, as dificuldades conjunturais.

Embora ter reconhecido que as perspectivas para 2016 sejam sombrias, mas afirma que é motivo para todos se lançarem ao trabalho redobrado, como resposta patriótica às sábias orientações de Sua Excelência, o Presidente da República, José Eduardo dos Santos, para a necessidade de diversificação da economia”, prognosticou o governador do Bengo. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA