Arábia Saudita planeia cortar na despesa, aumentar impostos e privatizar em 2016

(Foto: D.R.)
A Arábia Saudita, cujas finanças estão a ser pressionadas pelos baixos preços do petróleo, anunciou esta segunda-feira planos para reduzir o défice. O orçamento para 2016 prevê cortes nas despesas, reformas nos subsídios da energia, aumento dos impostos e privatizações.

O Orçamento para 2016, anunciado esta segunda-feira pelo Ministério das Finanças, é o maior “abanão” de política económica de um dos maiores exportadores de petróleo do mundo em mais de uma década, escreve a Reuters, acrescentando que o plano apresentado esta segunda-feira sugere que o país não espera uma recuperação significativa dos preços do petróleo assim tão cedo. Contrariamente, prepara-se agora para um longo período de petróleo barato.

O anúncio do orçamento para 2016 acontece depois do Fundo Monetário Internacional ter alertado, em Outubro, que Riad ficaria sem dinheiro dentro de cinco anos se não apertasse o cinto.

“A nossa economia tem potencial para fazer face aos desafios”, disse o rei Salman num discurso, acrescentando que o orçamento para o próximo ano marca o início de uma fase em que o seu país vai diversificar as fontes de receita, escreve a agência.

O governo registou um défice de 367 mil milhões de riais saudita (cerca de 89 mil milhões de euros) em 2015, ou 15% do Produto Interno Bruto do país. O orçamento para 2016 tem como objectivo cortar este valor para 326 mil milhões de riais (79 mil milhões de euros), reduzindo a pressão sobre Riad através da liquidação de activos que o país detém no estrangeiro.

Adianta ainda a Reuters que o planeamento para o próximo ano prevê gastos de 840 mil milhões de riais (204 mil milhões de euros), abaixo dos 950 mil milhões gastos este ano (cerca de 231 mil milhões de euros). Os projectos governamentais serão revistos de forma a confirmar a sua necessidade, garantir a sua sustentabilidade e eficiência. A estimativa de receitas para o próximo ano é de 514 mil milhões de riais (cerca de 125 mil milhões de euros), abaixo dos 608 mil milhões em 2015 (cerca de 148 mil milhões de euros).

O sucesso deste orçamento é determinante para manter a confiança dos mercados financeiros em Riad, escreve a Reuters.

Em comunicado, as autoridades sauditas informaram ainda que iriam ser ajustados em 2016 os subsídios para a água, electricidade e para os produtos petrolíferos nos próximos cinco anos. Sem dar grandes detalhes sobre o tema, o orçamento prevê também a “privatização de uma série de sectores e actividades económicas”, cita a agência.

A Arábia Saudita prevê ainda introduzir impostos de valor acrescentado em coordenação com outros países da região, e aumentar os impostos sobre bebidas e tabaco, noticia a Reuters. (jornaldenegocios)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA