Apesar de recordes no turismo, o emprego nunca foi tão baixo

(DR)

Presente ano registou aumento de dormidas e hóspedes, tal como os números mais baixos de sempre de empregabilidade durante a época alta.

O verão de 2015 registou mais dormidas, mais hóspedes e maior faturação. No entanto, os valores do emprego no alojamento e restauração seguiram em sentido oposto e alcançaram os valores mais baixos de sempre na chamada ‘época alta’, noticia o Diário de Notícias (DN).

Segundo dados apurados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), a hotelaria nacional faturou um total de 999,6 milhões de euros este ano, uma subida de 11,6% face ao ano passado. Os resultados são fruto do total de seis milhões de hóspedes (mais 8% que em 2014) e 18,8 milhões de dormidas (aumento homólogo de 4%).

No entanto, o emprego neste terceiro semestre nunca foi tão baixo. Os setores da restauração e alojamento deram emprego a 272,7 mil pessoas, o equivalente a 5,9% da população. No ano passado, por exemplo, o número de pessoas a trabalhar nesta área era de 300 mil pessoas. Em 2008, eram 327,9 mil.

Como justificação para esta queda contínua, os responsáveis do setor apontam a carga fiscal, elevados custos de contexto e dificuldade do acesso ao crédito bancário.

“Esta realidade não pode ser dissociada do aumento do IVA dos serviços de alimentação e bebidas, que, a 1 de janeiro de 2012, aumentou de 13% para 23%”, explica ao DN fonte da Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP).

Esta medida, acrescenta, “contribuiu para a “destruição de milhares de postos de trabalho nos últimos quatro anos”. (Noticias ao Minuto)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA