Apesar das pressões, Carlos Costa não se demite

(DR)

Catarina Martins disse que o governador do Banco de Portugal é “um problema” e António Costa parece concordar mas ambos podem contar com a “resistência” de Carlos Costa.

Apesar da pressão exercida pela Esquerda sobre o governador do Banco de Portugal, em especial por parte de António Costa, Carlos Costa não tenciona deixar o cargo.

“Ele é resistente e duro. Vai enfrentar a situação”, garantiu ao jornal i uma fonte próxima.

A “situação” diz respeito à crise no Banif e à forma como o Governo socialista tem vindo encarar o trabalho do Banco de Portugal.

A recondução de Carlos Costa começou por ser amplamente criticada pelo PS e outros partidos da ala Esquerda, que atribuíam ao governador responsabilidades no colapso do antigo Banco Espírito Santo por não ter retirado idoneidade a Ricardo Salgado nem ter informado devidamente a Comissão de Mercados dos Valores Imobiliários (CMVM) sobre o caso.

Com o caso Banif, o trabalho de Carlos Costa voltou a ser condenado. Catarina Martins disse que o governador do BdP era “um problema” e perguntou a António Costa como “pensava resolvê-lo”.

A resposta surgiu indiretamente: o primeiro-ministro disse duvidar que a instituição liderada por Carlos Costa “esteja apetrechado com a capacidade e o know-how necessários para proceder à gestão e intervenção na banca comercial”.

António Costa admitiu, assim, a hipótese de o BdP perder o seu poder no que toca à supervisão e intervenção em bancos com dificuldades e de ser criada uma entidade autónoma para assumir as competências da autoridade nacional de resolução bancária. (Noticiasaominuto)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA