Ao volante no episódio de Comedians in Cars com Obama e Jerry Seinfeld

Captar o normal numa vida anormal. Imagem: D.R

Como se preparou Seinfeld para o programa com o Presidente dos EUA, que se estreia no dia 30? O comediante quer captar o normal numa vida anormal. “Quero saber até quão longe ele pode andar de roupa interior até se tornar esquisito” na Casa Branca.

Jerry Seinfeld não conseguia livrar-se da sensação do espectáculo da noite anterior. Um público difícil num casino, explicou: “Foi como apunhalar um minotauro até à morte com uma faca de cozinha”. Mas agora estava em Washington, a entrar num Corvette Stingray de 1963 com mulheres na Avenida Constitution a gritar-lhe “que carro cool!” em vez de “Mulva?!”, a famosa expressão usada num episódio da sua série.

“Uau, que carro”, disse Seinfeld, saindo do veículo perto do lago espelhado do Capitólio no início deste mês. “Mas que carro! É como comer um cachorro quente no 4 de Julho com Scott Carpenter [um dos primeiros astronautas]”. E foi por isso que ele o escolheu para guiar até à Casa Branca e dar uma boleia ao Presidente dos Estados Unidos, um dos próximos convidados da sua série na web Comedians in Cars Getting Coffee.

Tal como o título sugere, o número 1600 da Avenida Pennsylvania é um desvio da normalidade para a série de Seinfeld, que na última temporada contou com nomes como Jim Carrey, Steve Harvey ou a sua companheira desitcom Julia Louis-Dreyfus a conduzir em carros vintage enquanto trocam piadas com a estrela. Mas este tipo de aparição especial no mundo do espectáculo – o episódio com Barack Obama estreia-se online no dia 30 – ébusiness as usual para o Presidente, que colaborou com vários entertainerspara comunicar as suas políticas, polir a sua imagem pública ou dar um empurrão para debates a nível nacional. Em 2014, esteve no programa que parodia os talks-shows Between Two Ferns, de Zach Galifianakis, para falar do site HealthCare.gov depois do seu lançamento atribulado. Este Verão, sentou-se na garagem de Marc Maron para uma entrevista para o seu podcastque tocou em vários temas, nomeadamente raça e racismo. E na semana passada esteve em Running Wild, um programa da NBC sobre natureza e aventura com o conhecido britânico Bear Grylls, para verbalizar as suas preocupações sobre as alterações climáticas.

Depois de Obama ter mencionado que Seinfeld é um dos seus comediantes favoritos no podcast de Marc Maron, Seinfeld brincou que a sua equipa de produção devia contactar a Casa Branca. O produtor executivo de Comedians in Cars fez exactamente isso. “Foi uma oportunidade de afastar a cortina e mostrar aos americanos como é a vida na Casa Branca”, disse o gabinete de imprensa do Presidente dos EUA em comunicado. “O Presidente e Jerry tiveram uma conversa única e franca que se centrou sobretudo no lado mais leve da presidência”.

Seinfeld foi para Washington um dia antes da gravação do programa com Obama para registar imagens pela cidade; ao contrário dos seus convidados habituais, este não podia andar sem destino com ele pelas ruas. Só dentro dos portões da Casa Branca.

No Capitólio, os turistas estavam a começar a notar a presença de Seinfeld – mas só depois de se terem dado conta do carro, uma miragem tremeluzente de azul metálico num pequeno parque de estacionamento no lado oeste do edifício. O seu vidro traseiro, divido ao meio, inclina-se numa espécie de curva dorsal que se assemelha ao seu nome de baptismo marinho – “Stingray” é uma raia. Foi emprestado por um ricaço do Connecticut que já tinha telefonado à equipa para perguntar como estava o seu bebé, que não saía da sua vista há 32 anos.

“As linhas”, disse um Seinfeld arrebatado, como se estivesse a descrever a Arca da Aliança. Assinalou a intimidade espacial entre a carroçaria do carro e as rodas – justo, mas não demasiado justo. Depois apontou para um Chevy Suburban nas imediações, um grande naco de metal preto que pertence à produção do programa.

“Vê quanto espaço há entre a roda e a carroçaria? É por isso que é deprimente. O que faz realmente falta no mundo são carros que podemos simplesmente contemplar”, disse, com as mãos na cintura das suas calças de ganga incaracterísticas, afastando para trás o blazer azul marinho. “Decidimos que é mais importante permanecer vivo do que ter um ar cool.

Jerry Seinfeld adora comédia e carros – valoriza a busca de perfeição mecânica e de precisão – e há alguns anos combinou-os com o seu amor por café e lançou esta série, que consiste em vídeos curtos de pessoas cómicas e ricas a andar de carro em automóveis clássicos que só elas poderiam ter dinheiro para ter. Deu boleia a Ricky Gervais num Austin Healey 3000 azul-gelo de 1967. Deu boleia a Tina Fey num Volvo 1800S vermelho vivo de 1967. (Público/Washington Post)

por Dan Zak

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA