Alemanha: Merkel apela à solidariedade em discurso de Ano Novo

(REUTERS)

Em pronunciamento, chanceler federal chama fluxo e integração de refugiados de “oportunidades do amanhã”. Ela deixa de mencionar a crise do euro e deseja boa sorte à selecção alemã na Eurocopa na França.

O imenso afluxo de migrantes e a integração de refugiados são “as oportunidades do amanhã”, diz a chanceler federal alemã, Angela Merkel, em seu discurso de Ano Novo, a ser pronunciado nesta quinta-feira (31/12) e que teve o texto antecipado à imprensa. Em seu pronunciamento, Merkel deixa de mencionar a crise do euro – e deseja boa sorte à selecção alemã na Eurocopa a ser disputada na França.

Em relação à crise migratória, a chanceler federal alemã afirma que uma coisa será mais importante do que qualquer outra para a Alemanha em 2016: “A nossa solidariedade”.

“É importante que não nos deixemos ser divididos. Nem em gerações, nem em grupos sociais, nem entre aqueles que já estão aqui e aqueles que são novos cidadãos”, diz Merkel em seu pronunciamento de Ano Novo.

A chanceler federal alemã exige que as pessoas não devam seguir “aquelas com frieza, ou até mesmo com ódio em seus corações, e que reivindicam o direito de serem chamados de alemães e buscam marginalizar outros”, sem mencionar o movimento anti-imigração Pegida (sigla em alemão para “Patriotas europeus contra a islamização do Ocidente”).

Em suas palavras, alemães devem ser confiantes e livres, atenciosos e cosmopolitas. Para que a integração tenha sucesso, o país tem que aprender com os erros do passado. “Nossos valores, nossas tradições, nosso senso de justiça, nossa língua, nossas leis, nossas regras – tudo isso se aplica a todos aqueles que desejam viver aqui [na Alemanha]”, afirma Merkel.

A chanceler federal sublinha que todos os países que tiveram uma integração bem sucedida de recém-chegados lucrou no futuro, economicamente e socialmente. Desta forma, Merkel deixa claro estar contando com um grande número de refugiados que permanecerão na Alemanha.

Ao mesmo tempo, ela diz que a Alemanha está trabalhando para melhorar a protecção das fronteiras externas da Europa; para transformar imigração ilegal em imigração legal; e para sustentar a luta contra as causas da crise migratória, a fim de alcançar uma redução em longo prazo do número de migrantes.

Repitam comigo: “Nós somos capazes!”

A maior parte do discurso é dedica à crise migratória. Merkel faz questão de agradecer a voluntários e colaboradores pela “avassaladora e verdadeiramente comovente onda de assistência prestativa e espontânea”. Todavia, ela diz que é evidente que a chegada de tantas pessoas “exigirá muito” da população alemã em termos de tempo, energia e dinheiro.

Por fim, a chanceler federal repete seu mantra: “Nós somos capazes, porque a Alemanha é uma nação forte”. Além daqueles envolvidos em trabalhos de ajuda humanitária para refugiados, Merkel também agradece “do fundo do coração” aos homens e às mulheres que servem nas Forças Armadas da Alemanha por colocarem “seus corpos e suas vidas em risco para defender os nossos valores, a nossa segurança e a nossa liberdade” na luta contra o terror do auto-proclamado “Estado Islâmico” (EI).

Desafios mencionados em seu pronunciamento para o ano de 2015 , como a revolução digital e a protecção climática, não estão presentes no discurso actual. A chanceler federal também não cita a crise do euro.

Em vez disso, Merkel, que é conhecida por ser fã da selecção alemã de futebol, faz questão de lembrar a todos que em 2016, na França, será realizada a Eurocopa: “Onde nossos campeões mundiais também querem se tornar campeões europeus.” (DW)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA