África do Sul: África e China estreitam cooperação

Presidente da República, José Eduardo dos Santos, recebe presidente do I.C.B.C da China (Foto: Pedro Parente)

Cinquenta e quatro países africanos estreitaram de 2 a 5 do corrente mês, nas cidades sul-africanas de Pretória e Joanesburgo, as relações de cooperação com a República da China, durante o II Fórum para a Cooperação África – China.

O encontro, orientado pelos presidentes sul-africano e chinês, respectivamente Jacob Zuma e Xi Jinping, visou superar os principais problemas dos africanos, elevar as suas economias e propiciar o desenvolvimento do continente, em todos os domínios.

Dos 54 países africanos, quatro participaram como observadores (Suazilandia, Gâmbia, São Tomé e Príncipe e Burkina Faso).

O encontro visou ainda passar em revista a cooperação entre a China e o Continente Africano, nos últimos 15 anos, de modo a impulsiona-la para outros patamares.

A iniciativa aglutinou a reunião de peritos, de ministros, de Chefes de Estado e de Governo, assim como serviu para a Reunião das Primeira-damas sobre a Problemática do VIH/Sida, o Fórum de Negocio África – China e uma exposição sobre as potencialidades de cada país que integra o continente.

O fórum realizou-se sob o lema “China e África avançam de mãos dadas: cooperação de benefícios mutuo para o desenvolvimento comum”.

Durante a cimeira, o líder chinês anunciou que a China vai trabalhar com os países africanos na formação do pessoal militar e policial, para que a África consiga consolidar a segurança neste momento de crescimento.

Garantiu a disponibilidade, nos próximos três anos, de um crédito no valor de 60 mil milhões para o continente, no quadro do Fórum para a Cooperação África – China.

Anunciou ainda que a China tenciona formar, em regime de bolsas de estudo, no seu país, 30 mil cidadãos africanos e criar televisões em dez mil aldeias africanas.

Por Angola, presidiu a delegação o Chefe de Estado, José Eduardo dos Santos, que se fez acompanhar da primeira-dama da República, Ana Paula dos Santos, na África do Sul.

Integraram ainda a delegação auxiliares do Titular do Poder Executivo, com destaque para o ministro de Estado e chefe da Casa Civil da Presidência da República, Edeltrudes Costa, os ministros das Relações Exteriores, Georges Chikoti, da Agricultura, Pedro Canga, do Comércio, Rosa Pacavira, e das Finanças, Armando Manuel.

José Eduardo dos Santos, que participou no Fórum na qualidade de convidado de honra, defendeu que a resolução dos problemas mais prementes e prioritários passa pela estruturação da cooperação entre a China e África em três níveis e estabelecer os respectivos instrumentos de acção.

“Trata-se dos níveis continentais, através da Comissão Executiva da União Africana e seu aparelho, de cada uma das cinco sub-regiões africanas, e respectivos aparelhos, e dos Estados membros da União Africana, através dos seus Governos”, expressou.

José Eduardo dos Santos disse que, além da cooperação para a procura de soluções globais, previstas pela NEPAD e pela visão para a industrialização da África e promoção do seu comércio, a China poderia dar maior ajuda a todos os níveis para a resolução dos problemas básicos da população.

O estadista disse que a parceria África – China pode contribuir para o desenvolvimento dos países africanos, ajudaria no estabelecimento de uma nova ordem política e económica internacional e promoveria a democratização das relações internacionais.

Frisou que a parceria assenta na igualdade e benefícios mutuamente vantajosos para as partes.

Segundo o estadista, a população da África e da China somadas elevam-se a quase dois biliões e meio de pessoas, um terço da população mundial, e têm, por isso, de ter uma voz activa na defesa dos seus interesses e na superação dos desafios comuns, num mundo cada vez mais globalizado e em permanente mudança.

Noutra esfera, José Eduardo dos Santos co-presidiu, com o Chefe de Estado Chines, Xi Jinping, as conversações oficiais entre delegações de Angola e da China, versadas à analise da cooperação bilateral, continental e da situação da Região dos Grandes Lagos.

Durante as conversações, os estadistas defenderam a necessidade de consolidação e aprofundamento da parceria estratégica entre os dois países, em benefício dos respectivos povos, e consideraram de excelentes os laços já existentes.

O Presidente José Eduardo dos Santos agradeceu as felicitações do seu homólogo chinês, pelos 40 anos da proclamação da independência de Angola, assinalados a 11 de Novembro, e por ter enviado uma delegação oficial de alto nível para as celebrações.

Por seu turno, Xi Jinping enalteceu o estado actual de excelência das relações entre Angola e a China, afirmando que com José Eduardo dos Santos e o MPLA no poder em Angola existe a garantia de sucesso de todas as políticas definidas para o desenvolvimento do país e prosperidade dos angolanos.

Para além da análise do estado actual das relações bilaterais, o encontro serviu para apreciar a situação política internacional, em particular na Região dos Grandes Lagos, tendo os estadistas defendido a conjugação de esforços na busca de soluções para a paz, estabilidade e desenvolvimento desta região.

O Chefe de Estado angolano, José Eduardo dos Santos, encontrou-se com os Presidentes do Sudão do Sul, Salva Kir, da Guiné Conacri, Alfa Konde, da Nigéria, Muhammadu Buhari, e concedeu audiências aos vice-presidentes do Burundi, Joseph Butore, e do Sudão, Hxi Bakri Hassan.

Os dirigentes da Repúblicas do Sudão do Sul, da Guiné Conacri, do Burundi, da Nigéria e do Sudão reconheceram a importância e o papel de Angola na promoção e consolidação da paz e, por isso, encorajaram o líder angolano para prosseguir nesta senda.

A África é um continente com aproximadamente 30,27 milhões de quilómetros quadrados de terras. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA