Acusado de genocídio no Ruanda é detido na RDC

(AFP)

Ladislas Ntaganzwa, um dos acusados ainda procurados pelo Tribunal Penal Internacional para Ruanda (TPIR), encarregado de julgar os responsáveis do genocídio de 1994, foi detido na República Democrática do Congo (RDC), anunciou nesta quinta-feira a estrutura da ONU que sucede o TPIR.

Prefeito de Nyakizu (sul de Ruanda) quando ocorreu o genocídio, Ntaganzwa, de 53 anos, é acusado de ter incitado e de ter participado dos massacres de milhares de civis tutsi, e nos estupros de mulheres tutsi, no território de seu município.

Seu caso foi transferido em maio de 2012 à justiça ruandesa pelo TPIR.

A ONU não informou as circunstâncias da detenção de Ntaganzwa.

O TPIR, criado pelas Nações Unidas em 1994, foi oficialmente fechado no dia 1 de Dezembro. Deve divulgar sua última sentença em meados de Dezembro. (AFP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA