Abertura dos mercados: Bolsas europeias, euro e petróleo em alta

(Negocios)
(Negocios)
(Negocios)

As principais praças europeias estão a negociar em terreno positivo, com excepção do índice francês, que cede 0,18%. O euro e o petróleo estão também a subir.

Os mercados em números

PSI-20 soma 0,56% para 5.380,53 pontos
Stoxx 600 cresce 0,33% para 386,72 pontos

Nikkei valorizou 1,34% para 20.012,40 pontos

Juros da dívida portuguesa a 10 anos somam 1,5 pontos base para 2,337%

Euro avança 0,20% para 1,0586 dólares

Petróleo sobe 0,47% para 44,82 dólares por barril em Londres

Bolsas europeias em alta
As bolsas europeias arrancaram a sessão desta terça-feira, 1 de Dezembro, em terreno positivo num dia em que foram divulgados dados económicos relativos à China. O índice de gestores de compras (PMI, na sigla anglo-saxónica), que mede a actividade industrial através de inquérito às empresas, caiu para 49,6 pontos em Novembro na China, de acordo com o Instituto Nacional de Estatística chinês, citado pela Bloomberg. De acordo com a agência internacional, é o nível mais baixo desde Agosto de 2012 e compara com uma estimativa média de 49,8 pontos dos economistas contactados pela Bloomberg, que foi o nível para Setembro e Outubro.
O PMI dos serviços cresceu para 53,6 face aos 53,1 do mês anterior. Os números abaixo dos 50 representam deterioração da actividade económica.

Porém, um outro dado relativo à actividade industrial na China, realizado pela Caixin Media e Markit Economics, mostra que a produção industrial no mês de Novembro subiu para os 48,6 pontos, um valor que supera as estimativas dos analistas consultados pela Bloomberg que apontavam para os 48,3 pontos. Segundo a Bloomberg, este indicador utiliza uma amostra menor e incluiu pequenas empresas e exportadoras. Estes dados podem explicar a diferença de valores face aos divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística chinês.

Ainda a marcar a negociação no Velho Continente está a expectativa que o Banco Central Europeu (BCE) decida introduzir mais estímulos económicos. O português PSI-20 é a praça que mais sobe no Velho Continente, avançando 0,56%, seguido do britânico Foostsie, que aprecia 0,51%. O Stoxx 600, índice de referência, soma 0,33%. O índice francês CAC 40 é a única praça do Velho Continente a negociar em queda, perdendo 0,18%.

Juros da dívida em alta ligeira
Os juros da dívida pública portuguesa no mercado secundário estão a negociar em alta ligeira. A dez anos, a maturidade considerada de referência, as “yields” soma 1,5 pontos base para 2,337%. No caso da dívida espanhola a dez anos verifica-se uma subida de 2,1 pontos base para 1,542%. E as “yields” a dez anos de Itália somam também 2,1 pontos base para 1,439%. No caso da Alemanha, os juros exigidos pelos investidores para trocarem dívida entre si a dez anos somam 2,5 pontos base para 0,498%. O prémio de risco da dívida nacional está estável nos 183,4 pontos.

Euro recupera terreno
A moeda europeia está a ganhar terreno relativamente à divisa norte-americana, depois de ontem ter tocado no valor mais baixo desde Abril. O euro soma 0,20% para 1,0586 dólares, isto numa altura em que os investidores aguardam pelo encontro da autoridade monetária da Zona Euro para perceber se vão ser introduzidos mais estímulos na economia. Além disso, a marcar o dia no mercado cambial está o facto de o Fundo Monetário Internacional (FMI) ter decidido esta segunda-feira, 30 de Novembro, incluir o yuan no seu cabaz de moedas, conhecido como Direito de Saque Especial (SDR, na sigla anglo-saxónica). A decisão anunciada por Christine Lagarde representa uma grande vitória moral para o Governo chinês, que há muito procurava alcançar este estatuto para a sua moeda.

Petróleo em alta
Os preços do petróleo estão a subir nos mercados internacionais a poucos dias do encontro da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) e numa altura em que são poucos os sinais de que o cartel vá abrandar a sua produção. Esta reunião marca um ano desde que a Arábia Saudita, o principal país da OPEP, decidiu que a organização iria produzir em excesso, de modo a pressionar as cotações do petróleo e obrigar as concorrentes americanas – que produzem petróleo a partir das areias betuminosas – a reduzirem a sua produção, devido aos elevados custos de exploração. O West Texas Intermediate soma 0,53% para 41,87 dólares por barril. E o Brent do Mar do Norte, que serve de referência para as importações europeias, avança 0,47% para 44,82 dólares por barril.

Cobre em alta após PMI da China
Os preços do cobre estão a subir 0,4% para 4.604 dólares por tonelada métrica. Este comportamento tem lugar depois de terem sido revelados os dados do PMI na China, que caiu para 49,6 pontos em Novembro na China. (jornaldenegocios.pt)

por Ana Laranjeiro

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA