24 militantes curdos mortos no sudeste turco em operação de segurança

(EURONEWS)

24 rebeldes curdos foram mortos nos últimos dois dias no sudeste da Turquia, em operações das forças de segurança nacional, segundo a agência noticiosa estatal Anadolu.

A insurgência de 30 anos do PKK, o Partido dos Trabalhadores do Curdistão, antes centrada em zonas rurais, reacendeu-se em malha urbana com o fim do cessar-fogo, lançando o sudeste turco, maioritariamente curdo, num conflito aberto.

“Eu acho estas políticas erróneas. A pressão sobre o povo curdo tornou-se insuportável. Por que é que não podemos partilhar? Já chega, queremos paz”, diz uma testemunha não identificada por razões de segurança.
Fontes pró curdas anunciaram a morte de uma criança de 11 anos durante os ataques, mas esta informação não foi confirmada por fontes independentes.

As cidades de Cizre e Silopi, perto das fronteiras da Síria e do Iraque, têm recolher obrigatório desde segunda-feira, quando a Turquia lançou operações anti-PKK que envolvem, segundo fontes oficiais, dez mil polícias e tropas.

Ao mesmo tempo que os jornais nacionais falam em limpeza total face aos insurgentes do PKK, citando o primeiro-ministro Ahmet Davoglu, foi pedido pelo governo aos civis que se afastem da área por razões de segurança, uma vez que as operações vão continuar.

O PKK foi designado como grupo terrorista pela Turquia, Estados Unidos e União Europeia. (EURONEWS)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA