UNITA diz OGE 2016 oferece um “cheque em branco” ao PR

Raúl Danda, presidente do grupo parlamentar da UNITA (VOA)
Raúl Danda, presidente do grupo parlamentar da UNITA (VOA)
Raúl Danda, presidente do grupo parlamentar da UNITA (VOA)

A UNITA critica o valor destinado ao sector da Defesa no Orçamento Geral do Estado(OGE) para 2016, que é superior ao valor reservado para educação e saúde.

Por isso e por outros motivos, o principal partido da oposição votou, juntamente com a Casa-CE e PRS, contra o OGE, aprovado na generalidade pela Assembleia Nacional, com votos da maioria e da FNLA.

As rubricas sem especificações, para a bancada da UNITA, concedem um cheque em branco ao Presidente da Republica e não são admissíveis.

“A rubrica ´outros serviços´ tem um peso de quase 4 quatro por cento das despesas, isto é ilícito porque depois derivam em sacos azuis e vão para outros destinos”, disse o presidente da bancada da UNITA na Assembleia Nacional Raúl Danda.

O facto de a fatia atribuída ao sector da defesa ser superior ao da saúde e educação juntas, já não faz sentido, segundo Danda.

“Se estamos num país em paz não podemos continuar a gastar dinheiro público para financiar guerras como na Costa do Marfim, nos Congos, etc., mas quando olhamos para o soldado das Forças Armadas está mal”, acusou Danda.

Outro motivo de insatisfação do grupo parlamentar da UNITA tem a ver com o dinheiro gasto com assessorias estrangeiras e o financiamento de associações de propaganda do partido no poder.

“Numa altura em que o titular do poder executivo pede aos angolanos para apertarem os cintos, quando estes já nao suportam mais, ele continua a fazer gastos a pagar bajuladores com nomeações, como a que aconteceu com o antigo ministro português dos Negócios Estrangeiros que se transformou em servente do Grecima, para mostrar em Portugal que em Angola existe separação entre os poderes, as instituições de utilidade publica como a Ajapraz dirigida pelo deputado do MPLA Bento Raimundo que recebe dinheiro do OGE para fazer propaganda para o MPLA, o Movimento Espontâneo que só tem espontaneidade, para a propaganda do MPLA, com dinheiro publico nós não podemos aceitar isso”, concluiu Raúl Danda.

O OGE está agora a ser apreciado na especialidade pelos parceiros sociais. (voa.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA