União Europeia quer dinamizar parceria com Angola

Ministro das Relações Exteriores do Luxemburgo, Jean Asselborn, fala na reunião entre Angola e a UE (Foto: Cortesia do JA)
Ministro das Relações Exteriores do Luxemburgo, Jean Asselborn, fala na reunião entre Angola e a UE (Foto: Cortesia do JA)
Ministro das Relações Exteriores do Luxemburgo, Jean Asselborn, fala na reunião entre Angola e a UE (Foto: Cortesia do JA)

A União Europeia manifestou nesta quinta-feira, em Luanda, interesse na dinamização da parceria com Angola nos domínios do comércio, desenvolvimento e diversificação da cooperação económica, segundo o ministro das Relações Exteriores do Luxemburgo, Jean Asselborn.

O governante europeu discursava na abertura da II reunião ministerial Angola-União Europeia, que visa analisar a implementação do acordo “Caminho conjunto”, assinado a 23 de Julho de 2012, em Bruxelas, e perspectivar novas áreas de cooperação.

Depois de ter felicitado Angola pelo 40º aniversário da Independência Nacional e pelos esforços no sentido da manutenção da paz e para o alcance do desenvolvimento sustentado, Jean Asselborn disse que o acordo “Caminho conjunto” tem sido uma plataforma para lidar com os desafios regionais, continentais e mundial, numa base de diálogo construtivo.

Falou da necessidade de se reforçar a cooperação no domínio energético, que desempenha papel crucial para o desenvolvimento económico, diversificando as fontes energéticas e melhorar o acesso à energia nas áreas rurais.

O ministro valorizou ainda o intercâmbio, com Angola, em questões de segurança, com destaque na região dos Grandes Lagos, República Democrática do Congo (RDC) e a crise emergente no Burundi, esperando que juntos encontrem as melhores soluções positivas, na qualidade de (Angola) membro não permanente do Conselho de Segurança e nas presidências da Região dos Grandes Lagos e do Processo Kimberley.

Enaltece o envolvimento de Angola na segurança marítima internacional e considera essencial a troca de experiência e informações no domínio da imigração.

Apelou à participação na Cimeira mundial sobre alterações climáticas, agendada para finais deste mês, na capital francesa, Paris. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA