Uganda: Papa Francisco evoca acolhimento de refugiados

(Euronews)
(Euronews)
(Euronews)

O Papa Francisco está no Uganda, segunda etapa da viagem por África.

O Sumo Pontífice visitou e rezou no Santuário anglicano dos Mártires de Namugongo. Perto situa-se o Santuário católico com o mesmo nome.

No local, em finais de 1880, foram queimados vivos dezenas de jovens católicos e anglicanos que recusaram tornar-se escravos sexuais do rei Buganda. O Uganda, com 40% de população católica, celebra este ano os 50° aniversário da Canonização dos Mártires.

É em Namugongo, a 13 quilómetros de Kampala, que o Papa Francisco celebra este sábado uma missa. Espera-se um milhão de pessoas. Para garantir a segurança foram mobilizados 10 mil agentes.

No primeiro discurso no país, o Papa evocou a questão dos refugiados. Elogiou o Uganda pelo acolhimento de refugiados e, numa mensagem ao continente europeu, disse que a forma como se tratam os refugiados “é um teste à nossa humanidade” e “à nossa solidariedade”.

O Alto-Comissariado da ONU para os Refugiados estima que o Uganda acolhe mais de meio milhão de pessoas que fugiram dos seus países, sobretudo, da República Democrática do Congo e do Sudão do Sul.

A visita do Papa ao Uganda termina domingo. A última etapa é a República Centro-Africana. (euronews.com)

por Patrícia Cardoso | com LUSA, REUTERS, AFP, APTN

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA