Tunísia: Estado Islâmico reivindica atentado contra guarda presidencial

(Euronews)
(Euronews)
(Euronews)

O grupo extremista Estado Islâmico reivindicou a autoria do atentado desta terça-feira contra um autocarro da guarda presidencial, em plena capital da Tunísia, que se saldou em treze mortos.

No comunicado, difundido na internet, os “jihadistas” indicam que o autor do ataque é um tunisino, identificado com “Abu Abdallah al-Tounissi”, que se introduziu no veículo com uma cintura de explosivos.

O governo voltou a decretar o estado de emergência no país na sequência do ataque. Na conclusão de uma reunião do Conselho de Segurança da Tunísia, o primeiro-ministro Habib Essid, afirmou que “a guerra contra o terrorismo não é simplesmente da responsabilidade das forças de segurança ou do Exército; é uma responsabilidade nacional e as pessoas precisam de compreender que o país está em perigo e deve constituir uma frente unida”.

O Estado Islâmico faz referência a 20 vítimas mortais. O balanço oficial das autoridades tunisinas é de 12 guardas presidenciais mortos e um outro corpo, que poderá pertencer ao atacante. (euronews.com)

por Rodrigo Barbosa | com AFP

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA