SIP mostra preocupação com assassinatos de jornalistas no Brasil

(Foto de Juan Mabromata/AFP/Arquivos)
(Foto de Juan Mabromata/AFP/Arquivos)
(Foto de Juan Mabromata/AFP/Arquivos)

A Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP) manifestou nesta quarta-feira sua preocupação com os vários assassinatos de jornalistas nos últimos dias no Brasil, e pediu para que as autoridades brasileiras esclareçam os crimes.

A organização patronal de imprensa manifestou “preocupação com o aumento de assassinatos no país”, após a morte violenta de blogueiro Ítalo Eduardo Diniz Barros, que ocorreu poucos dias antes de ser morto outro jornalista, numa declaração na qual pediu “investigações urgentes”.

Diniz Barros, de 30 anos, foi morto na última sexta-feira na cidade de Governador Nunes Freire, no estado do Maranhão, por dois homens que atiraram várias vezes em uma motocicleta, segundo a imprensa local.

Em sue blog, o jornalista publicava informações políticas. Ele havia recebido várias ameaças de morte, segundo a SIP, com sede em Miami.

Menos de uma semana antes, foi assassinado a tiros o radialista Israel Gonçalves Silva em Lagoa de Itaenga, no estado de Pernambuco, lembrou a SIP.

É “preocupante o tema da falta de proteção de quem se dedica a informar a população”, informou o encarregado de liberdade de expressão da SIP, Claudio Paolillo.

“O esclarecimento deste e dos demais assassinatos de jornalistas é fundamental para revelar responsabilidades e poder estabelecer pautas claras para garantir que não seja afetada a atividade jornalística e seja preservada a integridade física dos comunicadores”, agregou. (afp.com)

1 COMENTÁRIO

  1. Senhores: Como posso contribuir com os produtores agropecuários de Angola, com o meu trabalho e experiência? Trabalho no Brasil, com orientação aos pequenos produtores rurais em controle gerencial. Organizando as finanças da propriedade rural através de registro simples de entradas e saídas de dinheiro. Identificando assim os custos e resultados das culturas. Fico à disposição para mais esclarecimentos.

DEIXE UMA RESPOSTA