Saara Ocidental:40 anos depois da Marcha verde

Participantes da Marcha verde a caminho do Saara Ocidental, 25 Outubro de 1975. (AFP/GEORGES BENDRIHEM)
Participantes da Marcha verde a caminho do Saara Ocidental, 25 Outubro de 1975. (AFP/GEORGES BENDRIHEM)
Participantes da Marcha verde a caminho do Saara Ocidental, 25 Outubro de 1975.
(AFP/GEORGES BENDRIHEM)

Quarenta anos após a chamada marcha verde, o rei Mohammed VI, deslocou-se nesta sexta-feira a Laayoune para reafirmar a soberania de Marrocos sobre o Saara Ocidental, território anteriormente administrado pela Espanha . O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon considera que se regista uma deterioração da conjuntura no território situado no flanco ocidental do norte de África, que tem sido objecto de uma luta política e militar desde 1975 entre a Frente Polisário e as autoridades do Reino de Marrocos.

A Espanha que administrava o então Sahara espanhol desde 1884, decidiu retirar-se em 1974. O rei Hassan II , cujo país reivendicava o referido território como parte integrante de Marrocos, aproveita o defeso político-administrativo espanhol para organizar a chamada “Marcha verde” protagonizada por 350.000 marroquinos e anexar no dia 6 de Novembro de 1975 o Sahara Ocidental. Na época, a ONU exigiu a retirada dos marroquinos do território,sem nunca ter obtido uma resposta favorável .

 Em 1991 foi criada a Minurso( Missão das Nações Unidas para o Saara Ocidental), que tinha como uma das suas missões, a organização de um referendo sobre o futuro do território. A Frente Polisário criada em 1973 e apoiada pela Argélia, tornou-se o baluarte do movimento de libertação nacional do povo sarauí, que reivendica a autodeterminação do território.

No passado dia 30 de Setembro , o rei Mohammed VI, reiterou  diante  da ONU a sua determinação em manter o Saara Ocidental como parte do território marroquino. A vontade de Marrocos de conservar o Saara ocidental,tem provocado tensões nas suas relações com outros Estados ,não só em África mas igualmente noutras partes do mundo.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA