Rui Falcão acusa “fascistas” e potências mundiais de conspirarem contra Angola

Rui Falcão (ao centro) nas celebrações 40 anos da independencia (VOA)
Rui Falcão (ao centro) nas celebrações 40 anos da independencia (VOA)
Rui Falcão (ao centro) nas celebrações 40 anos da independência (VOA)

Governador diz que alguns usam a palavra democracia para esconder “o seu desejo doentio de poder e o seu carácter fascista”.

Pela segunda vez em poucos dias o governador do Namibe Rui Falcão criticou fortemente países estrangeiros não identificados e cidadãos angolanos “ambiciosos e fascistas” de conspirarem contra Angola.

“Os partidos políticos devem lutar de forma dinâmica pela manutenção do exercício do poder ou pela sua conquista, perceber que a constituição e a lei definem períodos, e é nesses períodos eleitorais em que cada um, com civismo e respeito pelo próximo, deve esgrimir os seus argumentos de razão”, disse Falcão ao assinalar os 40 anos da Independência.

O governante acrescentou que, terminado esse processo, “os que ganham devem governar e os que perdem devem exercer na plenitude os seus direitos de oposição politica dentro das normas jurídicas”.

«Confundir oposição democrática com obstrução ou com o uso de formas antidemocráticas para alcançar o poder é vilipendiar a própria democracia”, disse.

“Quem assim age é falso e usa a palavra democracia para esconder o seu desejo doentio de poder e esconder o seu carácter arrogante, eminentemente fascista, onde a única razão que subsiste é a sua e o único móbil é o poder pelo poder, mesmo que para isso se tenha que vender ao diabo», acrescentou.

Na ocasião, Rui Falcão elogiou o Presidente José Eduardo dos Santos que disse ser o tipo de dirigente forte que países em via de desenvolvimento precisam para poder avançar. (voa.com)

por Armando Chicoca

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA