Ricos tentam ‘fugir’ ao programa de Costa e Centeno

(DR)
(DR)
(DR)

Cenário do Partido Socialista prevê um imposto de cerca de 14% sobre fortunas superiores a um milhão de euros.

Mário Centeno, possível ministro das Finanças pelo PS, sugeriu uma descida da TSU no programa macroeconómico dos socialistas, compensando a medida com um imposto a aplicar aos mais ricos: um valor estimado em 14% para heranças de valor liquido superior a um milhão de euros. Nas contas de Centeno, esta taxa garantirá ao Estado um valor balizado entre os 70 e 100 milhões de euros.

A proposta, como seria de esperar, não está a ser bem-vinda pelos mais afortunados que, conta o semanário Expresso, já começaram a contactar escritórios de advogados para pedirem conselhos e anteciparem maneiras de ‘fugir’ à carga fiscal.

Tal como apurou o semanário, junto de Margarida Gouveia de oliveira, associada coordenadora da área fiscal da Miranda, “ainda antes deste volte-face político, fomos contactados por várias pessoas preocupadas com a inclusão no programa eleitoral do PS deste tipo de imposto”.

À mesma fonte, Nuno da Cunha Barnabé, sócio da PLMJ, adianta que “os contribuintes vão procurar, podendo, antecipar a transmissão do seu património para os respetivos herdeiros antes da aprovação do novo imposto, o que não deverá suceder antes da aprovação do Orçamento do Estado para 2016, daqui por 2 a 3 meses”. (noticiasaominuto.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA