Relato da tragédia em Paris

François Molins, Procurador da República de Paris. (AFP FOTO / ALAIN JOCARD)
François Molins, Procurador da República de Paris. (AFP FOTO / ALAIN JOCARD)
François Molins, Procurador da República de Paris.
(AFP FOTO / ALAIN JOCARD)

François Molins, Procurador da República de Paris, avançou com o relato da tragédia e com o avanço da investigação.

Em conferência de imprensa, François Molins, Procurador da República de Paris, fez um ponto da situação e avançou com o relato minucioso da tragédia na capital francesa.

Actualmente faleceram 129 pessoas. Também há 352 feridos, dos quais 99 em estado extremamente grave. Sete terroristas morreram durante os ataques“, começou por dizer antes de abordar o relato ao pormenor.

– “Uma primeira explosão foi audível no Stade de France às 21h20 e causou a morte de uma pessoa bem como a do kamikaze. No mesmo momento, pelas 21h25, pessoas que estavam no barLe Carillone no restauranteLe Petit Cambodgeforam vítimas de disparos de kalachnikov, vindos de um automóvel Seat Leon. O balanço aí é de 15 mortos.

– “As 21 h 32 na esquina da rua Faubourg-du-Temple e da rua Fontaine-au-Roi, um novo tiroteio aconteceu em frente ao café ‘Bonne Bière’ que causou a morte de 5 pessoas e outras 8 ficaram feridas em estado de emergência extrema. Com os primeiros testemunhos identificámos um carro de cor preta e da marca Seat.

– “As 21 h 30, uma segunda explosão aconteceu na porta H do Stade de France. No local, encontramos o corpo de um segundo kamikaze que tinha o mesmo dispositivo explosivo que o primeiro que ocorreu na porta D.

– “As 21 h 36 no 92, rua de Charonne, novos tiros de armas pesadas causam a morte de 19 pessoas, tiros cometidos por indivíduos que chegaram num Seat preto.

– “Por volta das 21 h 40: no 253 boulevard Voltaire, no restaurante ‘Comptoir Voltaire’, um kamikaze fez-se explodir. Uma pessoa foi gravemente ferida, e várias foram feridas ligeiramente.

– “As 21 h 40: um veiculo Polo de cor preta estaciona em frente ao ‘Le Bataclan’. Três indivíduos com armas de guerra saem e entram na sala de concertos. Dispararam com rajadas e fizeram reféns. Os terroristas evocaram, nas negociações, a Síria e o Iraque. Durante o assalto os três terroristas faleceram, um abatido pela polícia, os dois outros fizeram-se explodir. Por enquanto há 89 vítimas e muitos feridos“.

– “As 21 h 53, em Saint-Denis, a 400 metros do Stade de France, rua da Cockerie, uma terceira explosão. Encontrámos o corpo de um kamikaze.”

– “Neste momento podemos dizer que há, a priori, três equipas de terroristas coordenadas na origem desta tragédia. A investigação vai determinar os cúmplices, os mandantes, o percurso e o financiamento desta operação.

Quanto à identidade dos terroristas, François Molins, Procurador da República de Paris, deu algumas pistas.

– “Um terrorista que estava no sequestro do ‘Le Bataclan’ foi identificado: é um homem que nasceu a 21 de Novembro de 1985 em Courcouronnes, na Região Parisiense, conhecido da justiça por infracções (8 condenações entre 2004 e 2010), mas nunca esteve na prisão e sabemos que se tinha radicalizado. Nunca esteve implicado ou com ligações a terroristas.

– “Perto do kamikaze das 21 h 20 foi descoberto um passaporte sírio de um indivíduo que nasceu em Setembro de 1990, mas não é conhecido dos serviços de inteligência franceses

Por fim François Molins, Procurador da República de Paris, admitiu que na Bélgica, a polícia local efectuou três detenções na sequência de operações policiais perto de Bruxelas, a capital belga. Um dos detidos tinha alugado um carro na Bélgica, o que estacionou em frente ao ‘Le Bataclan’. (rfi.fr)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA