Reforço da cooperação domina diálogo sobre Angola e Cabo Verde

Encontro entre Fernando da Piedade Dias dos Santos (à dir.) e José Maria Neves (Foto: Francisco Miúdo)
Encontro entre Fernando da Piedade Dias dos Santos (à dir.) e José Maria Neves (Foto: Francisco Miúdo)
Encontro entre Fernando da Piedade Dias dos Santos (à dir.) e José Maria Neves (Foto: Francisco Miúdo)

O presidente do parlamento angolano, Fernando Dias Santos, encontrou-se hoje, em Luanda, com o primeiro-ministro de Cabo Verde, José Maria Neves, tendo afirmado que o momento serviu para tratar de assuntos relacionados com o reforço da cooperação.

“Falámos do presente e do futuro das nossas independências, do passado comum e dos processos políticos”, pontualizou, em declarações à imprensa.

Por seu turno, José Maria Neves, em visita privada a Angola, reconheceu que os dois países mantêm relações de cooperação excelentes nos diversos domínios e de cumplicidade a nível do continente africano e nos organismos internacionais.

“Falámos dos ganhos obtidos pelos dois países no período pós-independência, pois hoje temos paz e estabilidade e estão a ser criadas as condições para um desenvolvimento dos países para economias mais fortes e inovadoras, capazes de realizar os objectivos do desenvolvimento sustentável no horizonte de 2030”, frisou.

José Maria Neves salientou que aproveitou a ocasião para felicitar Angola e o seu presidente, José Eduardo dos Santos, por todos os seus ganhos, desenvolvimento e transformações nos últimos anos.

Instado a falar sobre o livro que vai lançar em Angola, com o título “Cabo Verde Gestão nas Impossibilidades”, adiantou que o mesmo aborda aspectos ligados a este país.

“Cabo Verde era em 1975 um país improvável e nestes 40 anos conseguimos transformar Cabo Verde num país possível embora não termos ouro, diamante, petróleo mas temos cabo-verdianos que são as nossas pedras preciosas e soubemos lapidá-las e trabalhar para construir Cabo Verde de hoje, moderno mais competitivo e desenvolvido”, afirmou José Maria Neves numa alusão ao que retrata no seu livro.

“Falo de tudo isso, deste percurso e das perspectivas futuras. É a ambição que nós temos de ter Cabo Verde desenvolvido no horizonte de 2030”, ressaltou.

Angola e Cabo Verde, dois países africanos de língua oficial portuguesa, proclamaram as suas independências da então colónia portuguesa em 11 de Novembro de 1975 e 5 de Julho de 1975, respectivamente. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA